Tag Archives: Frankies 2008

Frankie 2007 – filme do ano

Em Paris

Em Paris – Christophe Honoré

O último fim de semana do ano trouxe aos cinemas um dos melhores filmes de 2007. Em Paris, terceiro longa-metragem do francês Christophe Honoré, é uma declaração de amor. Ou várias. Não se deixe enganar pelos primeiros minutos do filme, que mostram o fim de um relacionamento. A abertura incômoda é apenas a justificativa para o que vem a seguir: uma linda homenagem à Nouvelle Vague de François Truffaut, na forma da história de dois irmãos.

Paul (o ótimo Romain Duris) acabou de sair de um casamento. Romântico, não sabe lidar com a perda e a saudade e termina voltando para a casa do pai (um Guy Marchand adorável), o chefe de família tão amoroso quanto desajeitado em demonstrar seu amor. Lá, Paul passa a dividir o teto com seu irmão Jonathan (o inspirado Louis Garrel), a melhor tradução para a expressão ‘alma livre’: estudante relaxado, filho desleixado, amante insaciável.

A tristeza de Paul contrasta com a alegria de Jonathan. No entanto, do meio de sua aparente superficialidade, este último resolve fazer de tudo para resgatar o irmão de seu incômodo sentimental. É aí que o diretor estabelece o amor incondicional entre os dois, o que move todo o filme. Mas não há nada de convencional nesta história. Jonathan resolve convidar Paul a sair pelas ruas de Paris, mas vai sozinho. Apesar disso, o diretor sabe mostrar, nesta distância, a forte relação entre os irmãos.

Em Paris

Christophe Honoré fez um filme extremamente delicado, mas completamente masculino, modalidades difíceis de se conciliar. Em Paris é sobre as relações do homem (ou dos homens) entre si e com as curvas da vida. Sobre as formas de se demonstrar carinho em família. Sobre parceria e cumplicidade. Ao longo de toda sua duração, as mulheres, sem que isso nunca seja depreciativo, são meras coadjuvantes. O que importa ao filme são os personagens masculinos.

Para inspirar sua jornada pela família, Honoré bebeu claramente da fonte das deliciosas comédias de François Truffaut, como Beijos Proibidos. O Jonathan de Louis Garrel, por sinal, parece uma homenagem a Antoine Doinel, personagem que protagoniza este longa e mais outros quatro do mestre francês. A cena em que os dois irmãos lêem um livro da época em que eram crianças está entre as cenas mais bonitas do ano. Nem o inusitado dueto musical ao telefone consegue ser melhor.

Em Paris é o encontro mais perfeito entre a leveza da forma e a profundidade da palavra.

Zodíaco – David Fincher
Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto – Sidney Lumet
Cão Sem Dono – Beto Brant e Renato Ciasca
Santiago – João Moreira Salles

4 Comments

Filed under Prêmios

Frankie 2007 – direção

Zodíaco

David Fincher – Zodíaco

Uma mudança radical. Dos excessos visuais à sobriedade mais absurda. David Fincher me deixou boquiaberto com a transformação de seu cinema. O que ele fazia antes não me incomodava, mas o que ele fez aqui é grande cinema. É amadurecimento. Sua orquestra quase jornalística para este filme é de primeira linha.

2º Sidney Lumet – Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto
3º João Moreira Salles – Santiago
4º Christophe Honoré – Em Paris
5º Nicolas Klotz – A Questão Humana

13 Comments

Filed under Prêmios

Frankie 2007 – atriz

Maria Antonieta

Kirsten Dunst – Maria Antonieta

Não era pra todo mundo comprar a idéia mesmo. Sofia Coppola se arrisca e nos apresenta a sua visão/versão de Maria Antonieta sem se preocupar muito com a parcialidade do material. Kirsten Dunst entendeu tudo e se entrega à personagem despudoradamente, adolescentemente, adoravelmente.

2° Marion Cotillard – Piaf
3° Ashley Judd – Possuídos
4° Cate Blanchett – I’m Not There
5° Julie Christie – Longe Dela

1 Comment

Filed under Frankies

Frankie 2007 – ator coadjuvante

Robert Downey Jr.

Robert Downey Jr. – Zodíaco

O elenco deste filme é um de seus acertos. Absolutamente todos que entram em cena estão bem. Muito bem. Além de Jake Gyllenhaal e Mark Ruffalo, ótimos, o filme parece ser de Robert Downey Jr., em grande fase, que cada vez parece aprender mais como usar sua afetação em prol de seu trabalho.

2º Guy Marchand – Em Paris
3° Michael Lonsdale – A Questão Humana
4º Chris Cooper – Quebra de Sigilo
5º Thomas Haden Church – Homem-Aranha 3

1 Comment

Filed under Frankies

Frankie 2007 – atriz coadjuvante

Desejo e Reparação

Saoirse Ronan – Desejo e Reparação

Ela já tinha me chamado a atenção em Nunca é Tarde para Amar, mas aqui, no papel mais importante do filme de Joe Wright, esta garotinha apresenta um brilho especial. Segura como uma veterana, com expressões certeiras, mínimas e densas, esta mocinha parece ter estampado na testa: “eu sou o futuro”.

2º Imelda Staunton, por Harry Potter e a Ordem da Fênix
3º Susan Sarandon, por No Vale das Sombras
4º Julia Stiles, por O Ultimato Bourne
5º Sharon Stone, por Alpha Dog

2 Comments

Filed under Frankies

Frankie 2007 – cena do ano

Pro Dia Nascer Feliz

As lágrimas de Cissa, em Pro Dia Nascer Feliz

Nada parecia mais forte do que a história de Valeria, pernambucana do interior cuja vontade de estudar e o talento para escrever superam as dificuldades de chegar à escola e a falta de aulas. Mas João Jardim sabe colocar essa história no mesmo patamar da de Ciça, estudante de um colégio caríssimo que se dedica tanto aos estudos – para justificar o investimento de seus pais – que enche os olhos de água ao lembrar que faz tempo que não consegue um namorado.

2º O livro infantil, em Em Paris
3º Briga de família, em Homem-Aranha 3
4º A carta, em Cartas de Iwo Jima
5º Neve, em Medos Privados em Lugares Públicos

2 Comments

Filed under Frankies

Frankie 2007 – roteiro original

A Questão Humana

A Questão Humana – Elisabeth Perceval

Minha impressão é de que se trata de uma obra-prima sobre o quão pesada é a História sobre nossos ombros – e sobre como as estruturas que nos submetemos têm origens muito mais perversas do que imaginamos. O foco da investigação que Simon, vivido por um mais uma vez brilhante Mathieu Amalric, tem por missão – cujo objetivo, em outras palavras, é a salvação do capitalismo, a manutenção do status quo – se abre com voracidade, revelando nossa pequenez perante o mundo.

Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto – Kelly Masterson
Em Paris – Christophe Honoré
À Prova de Morte – Quentin Tarantino
Os Donos da Noite – James Gray

3 Comments

Filed under Frankies

Frankie 2007 – roteiro adaptado

Mutum

Mutum – Ana Luiza Martins Costa e Sandra Kogut
baseadas no livro de João Guimarães Rosa

A câmera do filme é o reflexo do humano que sustenta o texto, defendido tão belamente pelo mocinho Thiago da Silva Mariz, líder do elenco quase que totalmente amador. A imagem é natural como nos Dardenne e, mesmo quando parece seca e rígida em seus planos duradouros, transborda emoção. É uma dicotomia interessante: há um cinema duro na forma aparente e altamente delicado no que consegue. Guimarães Rosa obviamente ajuda, mas Kogut está de parabéns.

Desejo e Reparação – Christopher Hampton
baseado no livro de Ian McEwan
Cão Sem Dono – Marçal Aquino, Beto Brant e Renato Ciasca
baseados no livro de Daniel Galera
Medos Privados em Lugares Públicos – Jean-Michel Ribes
baseado na peça de Alan Ayckbourn
Zodíaco – James Vanderbilt
baseado no livro de Robert Graysmith

1 Comment

Filed under Frankies

Frankie 2007 – filme brasileiro

Cão Sem Dono

Cão Sem Dono, de Beto Brant e Renato Ciasca

O filme fala uma espécie de transição tardia de um mundo de isolamento e solidão, para a vontade de se estabelecer, de celebrar sua existência. É o embate entre a confortável – e assustadora – escolha pela abstração e o amor, que oferece direção, drama e densidade. Com razão e sentido, a pergunta não é mais sobre quando a vida vai mudar, mas sobre o que ela tem para oferecer. Este filme é sobre vida pulsando. E sobre querer um quadro na parede.

Santiago, de João Moreira Salles
Pro Dia Nascer Feliz – João Jardim
Jogo de Cena – Eduardo Coutinho
Mutum – Sandra Kogut

1 Comment

Filed under Frankies

Frankie 2007 – direção de arte

Maria Antonieta

Maria Antonieta – K.K. Barrett

De vez em quando é preciso vir alguém para usar uma pinça e mudar esse relevo, destacando um evento ou um personagem. É isso que Sofia Coppola fez em Maria Antonieta, assumindo o papel de advogada de defesa da rainha teen que foi parar na guilhotina. Seu filme é tendencioso, parcial e maniqueísta: e só é bom por causa disso. O visual exagerado deste filme é completamente coerente com sua personagem central.

Lust, Caution – Lai Pan
Desejo e Reparação – Sarah Greenwood
O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford – Patricia Norris
300 – James D. Bissell

1 Comment

Filed under Frankies