Tag Archives: Daniel Craig

Trailer: 007 – Operação Skyfall

O vigésimo terceiro filme de James Bond chega aos cinemas brasileiros no dia 2 de novembro. O novo trailer de 007 – Operação Skyfall já pode ser assistido em versão legendada:

Daniel Craig assume o personagem pela terceira vez. O filme terá ainda Javier Bardem, Judi Dench, Helen McCrory, Ralph Fiennes, Ben Whishaw e Albert Finney. A direção é do Sam Mendes.

2 Comments

Filed under Trailer, Vídeos

007 – Quantum of Solace

007 - Quantum of Solace

O que Cassino Royale conseguiu construir para a série de James Bond é destruído em pedacinhos por este Quantum of Solace. O segundo longa estrelado por Daniel Craig na pele de 007 é uma mutação equivocada do filme anterior, deixando de lado a concepção mais inteligente e refinada da criação de Ian Fleming por um modelo truculento de fazer filmes que anda altamente em voga.

Se o outro longa era aberto por uma cena de ação de primeira linha, neste aqui quase todos os momentos de força bruta parecem querer reprisar as seqüências de perseguição em larga escala de Batman – O Cavaleiro das Trevas, pecando justamente no mesmo ponto: tudo parece inflado, maximizado, exagerado – e chato. A estréia de Craig no papel já indicava a mudança no tom do personagem, mas aqui esse movimento perdeu o caráter passional e se deformou numa novelinha que me parece inédita na carreira do herói.

Sem o contraponto amoroso do longa anterior, Bond é apenas um homem atrás de vingança como tanto outros. Sem espaço para o romance e com um lugar diminuto para o humor que sempre deu equilíbrio à série, Quantum of Solace se tranformou num daqueles filmes de macho pra macho que encontrou num diretor ruim (Marc Forster fez filmes horrorosos como Em Busca da Terra do Nunca e O Caçador de Pipas) o pior defensor que poderia ter.

007 – Quantum of Solace Estrelinha
[Quantum of Solace, Marc Foster, 2008]

 

20 Comments

Filed under Resenha

Confidencial

A comparação entre Confidencial e Capote é injusta, porém impossível de não ser feita. Injusta porque, apesar de ter uma constelação no elenco, não tem o grande (e oscarizado) Philip Seymour Hoffman a sua frente. Impossível de não ser feita porque as duas biografias sobre Truman Capote têm o exato mesmo recorte: seu envolvimento na investigação de um crime que viria a render seu clássico A Sangue Frio, marco da literatura moderna.

No quesito dramático, o Capote de Hoffman é melhor do que o de Toby Jones, igualmente histriônico e afetadíssimo – o que, neste caso, deve significar que ele está muito bem -, porque parece um filme mais rígido com seus personagens, mais articulado e mais sério, embora este longa de Douglas McGrath (diretor de Emma e co-roteirista de Tiros na Broadway, de Woody Allen) tente ser mais elucidativo e revelador a cerca do caso e do protagonista.

Na área das interpretações, embora este tenha uma dezena de atores famosos, a maior parte parece só integrar o elenco para dar ‘peso’ ao filme, como Isabella Rossellini ou o diretor Peter Bogdanovich. No entanto, a interpretação de Sandra Bullock, discreta e segura, é, para minha surpresa, quase tão boa – eu disse quase – a de Catherine Keener como Nelle Harper Lee. E embora Clifton Collins Jr. esteja genial no filme adversário, Daniel Craig não faz feio.

Minha reação em relação à performance de Toby Jones é praticamente a mesma que eu tive sobre a de Hoffman: ele está bem, mas me incomoda muito. Neste caso, o diferencial é que ele não é Philip Seymour Hoffman, um ator maravilhoso.

Sobra, então, a seara da ousadia. Não que Confidencial seja exatamente um exemplo de transgressão narrativa, mas ao menos ele tenta. Com sua história entrecortada pelas entrevistas dos amigos do personagem principal, o filme adquire um tom mais jornalístico e menos formal do que Capote, que parecia uma grande reportagem mais convencional. O problema talvez seja adotar um tom didático demais em certos momentos. Mesmo assim, a intenção de refletir na estrutura do filme uma característica fundamental de seu objeto me parece bastante válida.

Confidencial estrelinhaestrelinhaestrelinha
[Confidential, Douglas McGrath, 2006]

1 Comment

Filed under Resenha

007 – Cassino Royale

Daniel Craig, Eva Green, Judi Dench, Mads Mikkelsen

Daniel Craig talvez seja o melhor James Bond desde Sean Connery, quem diria? Os gritos dos fãs que condenaram a escolha do inglês para assumir o papel do agente secreto foram abafados pela mistura do carisma bruto do ator com o viés escancaradamente romântico que a personagem ganhou nesta nova adaptação de Cassino Royale.

Para começar, é um filme muito bem escrito e melhor ainda executado. A seqüência de perseguição que abre o longa – além de uma outra lá pelo meio da projeção – é de tirar o fôlego com um aproveitamento certeiro dos efeitos visuais em prol da história. Mas a cena do banheiro, anti-clímax romântico, linda, é melhor ainda.

Eva Green é um belo (literalmente, inclusive) par para Craig, e termina se transformando num contraponto especial para o agente. A seqüência final peca por um excesso de clímaxes para o filme, mas guarda momentos bem particulares na história do herói.

007 – Cassino Royale EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Casino Royale, Martin Campbell, 2006]

Leave a Comment

Filed under Resenha