Category Archives: SAG

Oscar 2016: reações ao SAG e ao Globo de Ouro

Que Horas Ela Volta?, embora bastante cotado, não conseguiu uma indicação ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, o que dificulta um pouco a estrada do longa para o Oscar, embora a lógica desta categoria no prêmio de Hollywood seja a mais maluca de todas. A exclusão do filme de Anna Muylaert é lamentável, mas dialoga com uma temporada cheia de altos e baixos, em que cada movimento muda quem está na dianteira nesta disputa. Com as listas de indicados ao Globo de Ouro e ao prêmio do Screen Actors Guild of America, o SAG, vejamos as percepções que tiramos pro Oscar:

1) Spotlight é o frontrunner para melhor filme, mesmo que não tenha a mesma vantagem que 12 Anos de Escravidão teve um par de anos atrás, por exemplo. Ao mesmo tempo, não tem um filme que pareça ser um grande obstáculo. Carol e Mad Max: Estrada da Fúria seriam esses títulos, mas ainda não houve um abraço geral neles. O segundo tem forte apoio dos críticos, mas só aparece no SAG em elenco de dublês, além de ser um filme de um gênero que academia costuma ignorar. O filme de Todd Haynes tem aparecido aqui e ali e o SAG indicou as duas atrizes, mas não o elenco.

2) Perdido em Marte não aconteceu, como se previa. A indicação de Ridley Scott como diretor se soma ao prêmio do cineasta na mesma categoria pelo National Board of Review, mas foi só isso. Deve arrumar uma vaguinha entre os dez filmes, talvez até entre em direção, mas acabou por aí. Brooklyn surgiu no começo do ano como um favorito, foi ao ostracismo, se recuperou com os primeiros prêmios de críticos, mas parece que só Saoirse Ronan tem chances de reais de indicação. O Quarto de Jack também parecia que iria mais longe, mas não deve entrar nem em direção.

3) A Grande Aposta foi o filme do terceiro ato em 2015. Elenco e ator coadjuvante no SAG, filme comédia e dois atores no Globo de Ouro. Mas onde vai parar Christian Bale? Em melhor ator, como quer o Globo de Ouro, uma corrida que já tem muitos players? Ou em ator coadjuvante, como o SAG prefere (e alguns críticos também), onde teria mais chances? Se os votos se dividirem vai ser complicado. O mesmo vale, em maior ou menor grau, para Rooney Mara, de Carol, e Alicia Vikander, de A Garota Dinamarquesa, ambas indicadas como atriz coadjuvante no SAG e atriz no Globo de Ouro (Vikander ainda concorre como coadjuvante por Ex Machina no Globo de Ouro, o que complica um pouco mais o negócio). As indefinições talvez já tenham decretado a morte das candidaturas de Michael Keaton e Mark Ruffalo, já que, de Spotlight, só Rachel Macadams concorre ao SAG. E ninguém concorre ao Globo de Ouro.

4) Trumbo foi o outro filme-surpresa do ano. Emplacou Bryan Cranston e Helen Mirren como ator e atriz coadjuvante no SAG e no Globo de Ouro. Tem tudo pra repetir no Oscar. E ainda teve uma indicação de elenco no prêmio dos atores, ou seja, prestígio (que Carol, por exemplo, não teve). Helen Mirren conseguiu ser finalista em atriz também, no SAG, num dos movimentos mais esquisitos do ano. O filme, um drama com ecos da Segunda Guerra, é bem fraquinho e ninguém havia cogitado nada para ela. Sarah Silverman também surpreendeu com um nod ao SAG de melhor atriz. Chances no Oscar pras duas? Bem poucas, mas tudo isso indica que Charlotte Rampling, de 45 Anos, uma virtual vencedora, está uns passos atrás na corrida.

5) Idris Elba está consolidado com sua performance em Beasts of No Nation: disputa Globo de Ouro e SAG. Parece que abraçaram o Netflix, o que era uma dúvida grande. Michael Shannon, de 99 Homes, é outro que emplacou nods nos dois prêmios. Essa dupla pode minar as chances de atores que tinham sido mais visados até então: Paul Dano, de Love & Mercy, Sylvester Stallone, de Creed, e Tom Hardy, de O Regresso, além de Keaton e Ruffalo. Isso só beneficia Mark Rylance, de Ponte de Espiões, que pode ser o come-quieto do ano.

Me parece que o negócio seria mais ou menos assim no Oscar:

filme

Spotlight, Tom McCarthy
Mad Max: Estrada da Fúria, George Miller
Carol, Todd Haynes
O Regresso, Alejandro Gonzalez Iñarritu
Brooklyn, John Crowley
Perdido em Marte, Ridley Scott
O Quarto de Jack, Lenny Abrahamson
Ponte de Espiões, Steven Spielberg
Beasts of No Nation, Cary Fukunaga
A Grande Aposta, Adam McKay

direção

Tom McCarthy, Spotlight
George Miller, Mad Max: Estrada da Fúria
Todd Haynes, Carol
Alejandro Gonzalez Iñarritu, O Regresso
Ridley Scott, Perdido em Marte

ator

Leonardo Di Caprio, O Regresso
Michael Fassbender, Steve Jobs
Bryan Cranston, Trumbo
Eddie Redmayne, A Garota Dinamarquesa
Matt Damon, Perdido em Marte

atriz

Cate Blanchett, Carol
Saoirse Ronan, Brooklyn
Brie Larson, O Quarto de Jack
Jennifer Lawrence, Joy
Charlotte Rampling, 45 Anos

ator coadjuvante

Mark Rylance, Ponte de Espiões
Idris Elba, Beasts of No Nation
Michael Shannon, 99 Homes
Christian Bale, A Grande Aposta
Paul Dano, Love & Mercy

atriz coadjuvante

Rooney Mara, Carol
Alicia Vikander, A Garota Dinamarquesa
Jennifer Jason Leigh, Os Oito Odiados
Helen Mirren, Trumbo
Kate Winslet, Steve Jobs

roteiro original

Spotlight, Thomas McCarthy & Josh Singer
Os Oito Odiados, Quentin Tarantino
Divertida Mente, Josh Cooley, Pete Docter & Meg LeFauve
Ponte de Espiões, Matt Charman, Ethan Coen & Joel Coen
Joy, Annie Mumolo, David O. Russell

roteiro adaptado

Carol, Phyllis Nagy
Brooklyn, Nick Hornby
O Quarto de Jack, Emma Donoghue
A Grande Aposta, Michael Lewis & Adam McKay
Steve Jobs, Aaron Sorkin

26 Comments

Filed under Globo de Ouro, Oscar, Prêmios, SAG

Oscar 2015: como fica a corrida depois do Globo de Ouro?

Oscar 2015

As coisas começam a ficar mais claras na temporada de prêmios de cinema mais emocionante dos últimos anos. A essa altura, em outros anos, já haveria grandes favoritos em muitas categorias do Oscar, mas as listas de indicados do Screen Actors Guild of America e do Globo de Ouro chegaram para organizar a disputa. Ou quase isso. Com tantas possibilidades de candidatos em boa parte dos quesitos, o prêmio dos jornalistas estrangeiros, que não influenciava tanto em anos anteriores, voltou a ter um papel fundamental na corrida, ajudando a estreitar as possibilidades. De acordo com os finalistas ao Globo de Ouro, a disputa pelo Oscar de melhor filme deve se concentrar entre Boyhood, Selma, de Ava DuVernay, e O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum, com Birdman correndo por fora.

Boyhood é o filme independente que conta a história de uma família. É de um diretor de filmes “alternativos”, mas que já está na estrada há mais de 20 anos. E que já foi indicado ao Oscar de roteiro algumas vezes. Ou seja, é um filme que pode agradar em várias frentes, que pode ultrapassar a classificação de indie, que tem chance de ser um consenso. Selma tem a seu lado o peso histórico, o protagonista (o personagem e não o ator, Martin Luther King), mas pode esbarrar no fato de que 12 Anos de Escravidão ganhou no ano passado e a Academia pode achar que isso já preenche a cota de filmes étnicos premiados por um tempo. Já O Jogo da Imitação, longa de época, situado na Segunda Guerra, produzido pelo Midas do cinema Harvey Weinstein, o cara que deu o Oscar a Shakespeare Apaixonado, pode ser visto com uma alternativa classuda para quem achar o filme de Richard Linklater B demais.

Birdman tem a assinatura de Alejandro Gonzalez Iñarritu, mas dificilmente um filme sobre um homem atormentado por um super-herói teria grandes chances de vencer. Ainda mais, pesando para a comédia. De todo jeito, o filme tem vaga praticamente garantida entre os indicados, junto com os três favoritos citados anteriormente. Com quatro longas assegurados na disputa, que outros fechariam a conta (de até dez indicados, com a maioria das pessoas apostando em nove)? A Teoria de Tudo, de James Marsh, dificilmente ficará de fora diante de sua repercussão. O Globo de Ouro reforça as chances de dois competidores que pareciam enfraquecido: Foxcatcher, de Bennett Miller, que teve três indicações nesta quinta, e Garota Exemplar, que mesmo sem aparecer entre os melhores filmes, foi lembrado em direção, atriz, roteiro e trilha, o que é um número bem considerável.

Foxcatcher e Garota Exemplar podem se beneficiar da quantidade de vagas disponíveis para o Oscar de melhor filme, mas vão ter que enfrentar alguns candidatos cheios de charme. Whiplash, de Damien Chazelle, merecia mais atenção, mas é teve só uma para ator coadjuvante. Ainda assim, é um filme que tem perfil para entrar na disputa. Na lista de comédias e musicais dos Globos, Caminhos da Floresta e O Grande Hotel Budapeste são os títulos mais fortes, depois de Birdman, claro. Quem parece que teve as chances resumidas foi Invencível, de Angelina Jolie. Bastou o filme estrear para sumir das apostas. Mas como temos nomes famosos envolvidos e uma lista com muitas vagas, o longa pode abocanhar uma delas. A Most Violent Year, de JC Chandor, foi ignorado pelo SAG e nos Globos só Jessica Chastain conseguiu espaço. Mas é uma alternativa.

Na categoria de diretor, Richard Linklater, Alejandro Gonzalez Iñarritu, Ava DuVernay, indicados ao Globo de Ouro, são as maiores apostas. Morten Tyldum, que perdeu a indicação hoje, pode ter o nome reforçado pela lista do Directors Guild of America, que já está no forno. Resta saber quem paparia a vaga final, que muita gente destinava a Angelina Jolie (mas parece que não vai dar pra ela): os Globos ressucitaram David Fincher, que parece uma alternativa viável, e jogaram os holofotes sobre Wes Anderson, por O Grande Hotel Budapeste, que seria lindo, mas menos provável. Damien Chazelle, por Whiplash, ainda precisa de um reforço (alguém pensou no DGA?), mas ameaça, e JC Chandor poderia ser outra possibilidade. Bennett Miller parecia descartado, mas os Globos deram nova esperança com a indicação de Foxcatcher a filme dramático. Pode ser que James Marsh, por A Teoria de Tudo, emplaque, mas falta força ao nome dele. E Mike Leigh é sempre uma figura a se considerar em se tratando de Oscar. Mas Sr. Turner precisaria de mais fôlego.

Esse fôlego poderia vir de uma indicação de Timothy Spall, mas a categoria de melhor ator está tão cheia de nomes fortes que está complicado que ele se transforme em finalista. Michael Keaton, de Birdman, Benedict Cumberbatch, por O Jogo da Imitação, Eddie Redmayne, em A Teoria de Tudo, e David Oyelowo, por Selma, parecem candidatos assegurados, mesmo com o último ignorado pelo SAG (culpa dos DVDs de serviço que chegaram com problemas para os votantes). A quinta vaga, embora haja uma porrada de pré-candidatos (Oscar Isaac, por A Most Violent Year; Bradley Cooper, em Sniper Americano; e Ralph Fiennes, O Grande Budapeste Hotel), deve sair do duelo entre Steve Carell, de Foxcatcher, e Jake Gyllenhaal, por O Abutre. O primeiro ressurgiu com força total nas listas do SAG e do Globo de Ouro. O segundo virou ameaça concreta nestas mesmas listas. Será que não dá pra aumentar o número de indicados, não?

Amanhã sai uma análise sobre as categorias de atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante.

11 Comments

Filed under Comentário, Globo de Ouro, Oscar, Prêmios, SAG

Oscar 2015: o impacto dos indicados do SAG

Uma das coisas mais divertidas da temporada de prêmios de cinema é que, quando você acha que as coisas já estão mais ou menos resolvidas, surge um fator novo que muda toda a engenharia das bolsas de apostas. A lista de indicados ao prêmio anual do Screen Actors Guild of America, o sindicato dos atores, trouxe algumas surpresas: Jake Gyllenhaal, que aparecia modestamente nos prêmios e apostas anteriores, conseguiu uma vaga entre os melhores atores por O Abutre. Jennifer Aniston, que poucos acreditavam que tivesse chances por sua interpretação em Cake, também foi lembrada entre as atrizes. E Naomi Watts, que não tinha uma aposta séria, achou espaço na lista das coadjuvantes por St. Vincent. O filme de Angelina Jolie, Invencível, foi solenemente ignorado.

elenco

Boyhood
O Grande Hotel Budapeste
Homem-Pássaro
O Jogo da Imitação
A Teoria de Tudo

ator

Benedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação)
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)
Jake Gyllenhaal (O Abutre)
Michael Keaton (Homem-Pássaro)
Steve Carell (Foxcatcher)

atriz

Felicity Jones (A Teoria de Tudo)
Jennifer Aniston (Cake)
Julianne Moore (Para Sempre Alice)
Reese Witherspoon (Livre)
Rosamund Pike (Garota Exemplar)

ator coadjuvante

Edward Norton (Homem-Pássaro)
Ethan Hawke (Boyhood)
J.K. Simmons (Whiplash)
Mark Ruffalo (Foxcatcher)
Robert Duvall (O Juiz)

atriz coadjuvante

Emma Stone (Homem-Pássaro)
Keira Knightley (O Jogo da Imitação)
Meryl Streep (Caminhos da Floresta)
Naomi Watts (Um Santo Vizinho)
Patricia Arquette (Boyhood)

equipe de dublês

Corações de Ferro
Invencível
James Brown
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos
X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido

E o impacto disso pro Oscar?

Analisando categoria por categoria, entre os atores, Michael Keaton, de Homem-Pássaro, Eddie Redmayne, de A Teoria de Tudo, e Benedict Cumberbatch, de O Jogo da Imitação, são as melhores apostas, praticamente presentes em todas as listas. Steve Carrell, que já foi favorito, mas andava bastante desacreditado, ganhou um super reforço em sua possível indicação por Foxcatcher. A quinta vaga no SAG foi para Jake Gyllenhaal, que pela primeira vez vira um contender de peso (o que pode ser confirmado com uma indicação ao Globo de Ouro nesta quinta). A maior ausência na lista foi a de David Oyelowo, por Selma, mas parece que os screeners (as cópias do filme) enviados para os votantes do SAG chegaram com problemas, o que pode explicar deixar um papel-isca de prêmios (Martin Luther King) fora da lista. As chances de Timothy Spall, por Sr. Turner, estão mais tímidas, mas um filme de Mike Leigh sempre pode surpreender no Oscar. Bradley Cooper, por Sniper Americano, e Oscar Isaac, em A Most Violent Year, precisavam ter o aval do sindicato para se tornar competidores mais sérios.

Jennifer Aniston é a grande surpresa entre as atrizes. Ela pode solucionar o vácuo que existe nesta categoria. Julianne Moore, de Still Alice, Reese Whiterspoon, por Livre, e Rosamund Pike, estrela de Garota Exemplar, são certezas absolutas (se é que isso existe), e Felicity Jones, de A Teoria de Tudo, segue bem perto deste grupo, mas a quinta vaga está em aberto. Brigam por ela Amy Adams (Grandes Olhos), Hilary Swank (The Homesman), Emily Blunt (Caminhos da Floresta), Gugu Mbatha-Raw (Belle) e Shailene Woodley (A Culpa é das Estrelas). Ninguém aparece com muita força na disputa. Com a indicação ao prêmio do SAG, Aniston sai bem na frente.

Entre os atores coadjuvantes, três grandes forças: o favorito J.K. Simmons, de Whiplash; seu maior rival, Edward Norton, em Homem-Pássaro; e o cada vez mais forte Ethan Hawke, por Boyhood. Robert Duvall, de O Juiz, também muito citado, fica mais forte, e Mark Ruffalo, por Foxcatcher, consolida suas chances. Existem várias outras possibilidades, mas nenhuma muito certa. Josh Brolin, de Vício Inerente, é uma boa aposta. Tom Wilkinson, por Selma, seria outra.

A lista de atrizes coadjuvantes, a grande ausência foi a de Jessica Chastain, por A Most Violent Year, filme completamente ignorado pelo SAG, mas Laura Dern, de Livre, também parecia ter chances aqui e precisava desta indicação para ficar mais competitiva para o Oscar. Patricia Arquette, que é a favorita por Boyhood, lidera o time de candidatas. Meryl Streep, fazendo uma bruxa e cantando em Caminhos da Floresta, parece irresistível. Keira Knightley, por O Jogo da Imitação, ficou mais forte, junto com Emma Stone, por Homem-Pássaro. A quinta indicação foi para Naomi Watts, por St. Vincent, mas será que esse filme chega ao Oscar? Se os screeners de Selma chegarem direitinho pro Oscar, Carmen Ejogo é uma ótima alternativa, mas Chastain ainda parece uma aposta mais viável.

No quesito de elenco, que funcionaria como um “melhor filme” pro SAG, Boyhood (que ainda parece o favorito porque fala várias línguas: indies, família, projeto único), Homem-Pássaro (que parece mais candidato do que competidor com chances) e O Jogo da Imitação (alternativa mais mainstream caso a Academia ache o filme de Richard Linklater independente demais) são os filmes mais fortes. O primeiro e o último tiveram três indicações no prêmio do SAG e o filme de Alejandro Gonzalez Iñarritu, quatro. O Grande Budapeste Hotel conseguiu papar uma vaguinha e até pode aparecer entre os dez (ou nove, nunca se sabe) filmes do Oscar, mas as chances são menores. Já A Teoria de Tudo também entrou e também deve aparecer no listão da Academia. Selma não apareceu talvez por causa das cópias, mas Caminhos da Floresta não emplacou aqui e suas chances ficam menos claras entre os melhores filmes da festa do Oscar.

Lembrando que tudo pode (deve?) mudar amanhã, com os indicados ao Globo de Ouro. A corrida deste ano está emocionante.

Leave a Comment

Filed under Prêmios, SAG

SAG 2013: indicados

Depois de ser quase ignorado pelos principais grupos de críticos até o momento, 12 Anos de Escravidão foi o filme que recebeu o maior número de indicações para o Screen Actors Guild of America, o sindicato dos atores. O prêmio é o mais influente da indústria do cinema em relação ao Oscar, sobretudo porque é o que tem mais integrantes que também fazem parte da Academia. O filme de Steve McQueen, que sempre foi visto como favorito, foi lembrado nas categorias de elenco (o equivalente do SAG para o Oscar de melhor filme), ator, ator e atriz coadjuvantes. Entre as surpresas, Robert Redford, que ganhou o prêmio dos críticos de Nova York por All is Lost, não recebeu menção, dando o que teoricamente seria “sua vaga” para Forest Whitaker, do horroroso O Mordomo da Casa Branca, filme que somou três indicações. Dallas Buyers Club, que já era dado como certo em ator e ator coadjuvante, também emplacou elenco, o que dá bastante visibilidade ao filme. Tom Hanks, que tinha possibilidade de ser duplamente indicado, por Capitão Phillips e Walt nos Bastidores de Mary Poppins (pior título nacional do ano), só emplacou pelo primeiro, que também fortaleceu a candidatura de Barkhad Abdi. E Julia Roberts, que não era exatamente uma certeza por Álbum de Família, ganha com esta indicação, novas perspectivas. Por sinal, este filme também emplacou em três categorias.

elenco

12 Anos de Escravidão
Álbum de Família
Dallas Buyers Club
O Mordomo da Casa Branca
Trapaça

ator

Bruce Dern, Nebraska
Chiwetel Ejiofor, 12 Anos de Escravidão
Forest Whitaker, por O Mordomo da Casa Branca
Matthew McConaughey, Dallas Buyers Club
Tom Hanks, Capitão Phillips

atriz

Cate Blanchett, Blue Jasmine
Emma Thompson, Walt nos Bastidores de Mary Poppins
Judi Dench, Philomena
Meryl Streep, Álbum de Família
Sandra Bullock, Gravidade

ator coadjuvante

Barkhad Abi, Capitão Phillips
Daniel Bruhl, Rush: No Limite da Emoção
James Gandolfini, À Procura do Amor
Jared Leto, Dallas Buyers Club
Michael Fassbender, 12 Anos de Escravidão

atriz coadjuvante

Jennifer Lawrence, Trapaça
Julia Roberts, Álbum de Família
June Squibb, Nebraska
Lupita Nyong’o, 12 Anos de Escravidão
Oprah Winfrey, O Mordomo da Casa Branca

elenco de dublês

All Is Lost
Lone Survivor
Rush: No Limite da Emoção
Velozes e Furiosos 6
Wolverine – Imortal

Mas ainda há chance para os esquecidos. Os indicados ao SAG nem sempre são indicados ao Oscar. No ano passado, John Hawkes (As Sessões), Marion Cotillard (Ferrugem e Osso), Helen Mirren (Hitchcock), Javier Bardem (007: Operação Skyfall), Nicole Kidman (Obsessão) e Maggie Smith (O Exótico Hotel Marigold) concorreram ao SAG, mas foram trocados por Joaquin Phoenix (O Mestre), Emmanuelle Riva (Amor), Quvenzhané Wallis (Indomável Sonhadora), Christoph Waltz (Django Livre), Amy Adams (O Mestre) e Jacki Weaver (O Lado Bom da Vida). Waltz, por sinal, ganhou o Oscar.

2 Comments

Filed under Prêmios, SAG