Monthly Archives: janeiro 2012

Meus votos para o Alfred 2011

filme do ano

1 O Palhaço
2 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
3 As Praias de Agnès
4 A Pele que Habito
5 Isto Não é um Filme
6 Homens e Deuses
7 Bravura Indômita
8 Meia-Noite em Paris
9 O Vencedor
10 Um Lugar Qualquer

direção

1 Apichatpong Weerasethakul, Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
2 Agnès Varda, As Praias de Agnès
3 Selton Mello, O Palhaço
4 Pedro Almodóvar, A Pele que Habito
5 Terrence Malick, A Árvore da Vida

ator

1 Ryan Gosling, Namorados para Sempre
2 Andy Serkis, Planeta dos Macacos: A Origem
3 Ryan Gosling, Tudo pelo Poder
4 Michael Fassbender, X-Men: Primeira Classe
5 Jeff Bridges, Bravura Indômita

atriz

1 Hailee Steinfeld, Bravura Indômita
2 Jennifer Lawrence, Inverno da Alma
3 Kirsten Dunst, Melancolia
4 Jeong-hie Yun, Poesia
5 Juliette Binoche, Cópia Fiel

ator coadjuvante

1 Moacyr Franco, O Palhaço
2 John Hurt, Melancolia
3 Christian Bale, O Vencedor
4 Matt Damon, Bravura Indômita
5 Geoffrey Rush, O Discurso do Rei

atriz coadjuvante

1 Charlotte Rampling, Melancolia
2 Maricel Alvaréz, Biutiful
3 Elle Fanning, Super 8
4 Rosamund Pike, A Minha Versão do Amor
5 Jessica Chastain, A Árvore da Vida

elenco

1 Tudo pelo Poder
2 O Palhaço
3 O Vencedor
4 Missão Madrinha de Casamento
5 Turnê

cena do ano

1 A delegacia, O Palhaço
2 Jantar e Beethoven, Homens e Deuses
3 Convite para jantar, Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
4 “Não!”, Planeta dos Macacos: A Origem
5 A guerra pelo microfone, Missão Madrinha de Casamento

roteiro original

1 O Palhaço
2 Meia-Noite em Paris
3 As Praias de Agnès
4 Homens e Deuses
5 Missão Madrinha de Casamento

roteiro adaptado

1 A Pele que Habito
2 Tudo pelo Poder
3 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
4 Bravura Indômita
5 X-Men: Primeira Classe

filme de estreia

1 Margin Call
2 O Céu Sob os Ombros
3 Contracorrente
4 Trabalhar Cansa
5 Os Muppets

filme brasileiro

1 O Palhaço
2 Belair
3 O Céu Sob os Ombros
4 Riscado
5 Trabalhar Cansa

fotografia

1 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
2 O Palhaço
3 A Árvore da Vida
4 Deixe-me Entrar
5 Bravura Indômita

montagem

1 As Praias de Agnès
2 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
3 Bravura Indômita
4 A Pele que Habito
5 Tudo pelo Poder

direção de arte

1 Capitão América
2 O Palhaço
3 Imortais
4 X-Men: Primeira Classe
5 Bravura Indômita

trilha sonora

1 O Palhaço
2 Contágio
3 Tudo pelo Poder
4 Rango
5 A Pele que Habito

canção

1 “Man or Muppet”, Os Muppets
2 “Pictures in my Head”, Os Muppets
3 “Gathering Stories”, Compramos um Zoológico
4 “Rango Theme Song”, Rango
5 “Mother Knows Best”, Enrolados

som

1 Missão Impossível: Protocolo Fantasma
2 A Árvore da Vida
3 Super 8
4 Incontrolável
5 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas

efeitos visuais

1 Tio Boonmee Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
2 Capitão América
3 Além da Vida
4 Super 8
5 X-Men: Primeira Classe

pior filme

1 Incêndios
2 127 Horas
3 Um Dia
4 Reféns
5 Lixo Extraordinário

3 Comments

Filed under Listas

Oscar 2012: os indicados

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou hoje os indicados ao Oscar. A grande mudança do ano foi uma lista com 9 indicados a melhor filme (pelas novas regras, o número de finalistas nesta categoria poderia variar de 5 a 10). Hugo, de Martin Scorsese, tem o maior número de indicações, 11, seguido pelo filme mudo, O Artista, com 10. Ambos fazem homenagem aos primeiros anos do cinema.


Jean Dujardin
filme

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinha
Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Histórias Cruzadas Estrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Tão Forte e Tão Perto EstrelinhaEstrelinha

Com 9 indicados em melhor filme, é difícil dizer que alguém ficou de fora, mas em vez da picaretagem Tão Forte e Tão Perto, que passou quase virgem pela temporada de precursores, a lista poderia ter O Espião que Sabia Demais, Tudo pelo Poder ou Os Homens que Não Amavam as Mulheres. Querer Drive, quase completamente ignorado entre os indicados, era demais. Aposto em O Artista.

Martin Scorses
direção

Alexander Payne, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Martin Scorsese, A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Michel Hazanavicius, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Terrence Malick, A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Woody Allen, Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Na categoria de direção, a presença de Terrence Malick era a menos esperada, mas mesmo assim muita gente apostava em sua indicação. David Fincher, de Os Homens que Não Amavam as Mulheres, é a ausência mais sentida entre os que mais tinham chances. Nicolas Winding Refn, de Drive, seria um golpe de mestre. Steven Spielberg não teve fôlego pra chegar aqui. Aposto em Michel Hazanavicius.

George Clooney
ator

Brad Pitt, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Demián Bichir, A Better Life
Gary Oldman, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
George Clooney, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jean Dujardin, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

A grande surpresa, claro, foi Demián Bichir, que já tinha conseguido uma indicação do SAG e repetiu o feito aqui. Mas esta surpresa custou a vaga de Michael Fassbender, por Shame, uma grande interpretação, ignorada. Leonardo Di Caprio, mesmo com indicações ao SAG e ao Globo de Ouro, sofreu com a recepção fraca a J. Edgar e não é finalista. A boa notícia é que Gary Oldman, que vinha sendo ignorado pela crítica, mas ganhou um grande força com o Bafta, conseguiu entrar na lista. Infelizmente, Ryan Gosling chegou à reta final com votos divididos, Drive e Tudo pelo Poder, e sem fortes precursores. Aposto em George Clooney.

Meryl Streep
atriz

Glenn Close, Albert Nobbs
Meryl Streep, A Dama de Ferro
Michelle Williams, Sete Dias com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Rooney Mara, Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Viola Davis, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Esta categoria parecia fechada, mas só quatro das favoritas entraram. Rooney Mara é uma bela indicação surpresa, mas custou a vaga de Tilda Swinton. E o Oscar perdeu a chance de apostar no novo, ignorando Elisabeth Olsen de Martha Marcy May Marlene. Aposto em Meryl Streep.

Christopher Plummer
ator coadjuvante

Christopher Plummer, Toda Forma de Amor EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jonah Hill, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Kenneth Branagh, Sete Dias com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Max Von Sydow, Tão Forte e Tão Perto EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Nick Nolte, Guerreiro

Aqui, a grande ausência foi Albert Brooks em Drive, embora a performance não tenha me animado. Ele começou a corrida super prestigiado, mas falhou no SAG. Abriu espaço para o papel Oscar bait de Max Von Sydow em Tão Forte e Tão Perto, que não é tão ruim quanto O Leitor, mas é um belo de um engana-trouxa. Ainda bem que não forçaram a barra para indicar Armie Hammer em J. Edgar. Aposto em Christopher Plummer.

Jessica Chastain
atriz coadjuvante

Bérénice Bejo, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jessica Chastain, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Janet McTeer, Albert Nobbs
Melissa McCarthy, Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Octavia Spencer, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Aqui não tinha como fugir. Seis atrizes chegaram fortes ao final da corrida. Uma teria que sair. No caso, foi a novata Shailene Woodley quem saiu perdendo. Janet McTeer se beneficiou daquela ideia que o Oscar tem de que indicar “duplas” é muito bom, além de ser uma atriz respeitada e já indicada, e a popularidade de Melissa McCarthy na TV ppesou mais. Carey Mulligan, muito bem em Shame, e Vanessa Redgrave, em Coriolanus, foram as outras esnobadas. Aposto, infelizmente, na interpretação-fórmula de Octaviua Spencer.

Woody Allen, Owen Wilson, Marion Cotillard
roteiro original

Annie Mumolo e Kristen Wiig, Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Asghar Farhadi, A Separação EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
J.C. Chandor, Margin Call EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Michel Hazanavicius, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Woody Allen, Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Apostei numa indicação surpresa de Margin Call e deu certo. Por conta disso, O Abrigo, Win Win e 50/50 ficaram de fora. É ótimo ver A Separação na lista. O prêmio deve ficar entre Hazanavicius e Woody Allen, tendência para o último.

Gary Oldman
roteiro adaptado

Alexander Payne, Nat Faxon, Jim Rash, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Bridget O’Connor, Peter Straughan, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
George Clooney, Grant Heslov, Beau Willimon, Tudo Pelo Poder EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Logan, A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Aaron Sorkin, Stan Chervin e Steven Zaillian, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

A esnobada no fraquíssimo Histórias Cruzadas abriu espaço para a única e merecida indicação para Tudo pelo Poder. Os Descendentes deve vencer aqui sem problemas.

filme estrangeiro

Bullhead EstrelinhaEstrelinha (Bélgica)
Footnote (Israel)
In Darkness (Polônia)
Monsieur Lazhar (Canadá)
A Separação EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha (Irã)

animação

Um Gato em Paris
Chico & Rita
Kung Fu Panda 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Gato de Botas EstrelinhaEstrelinha
Rango EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

fotografia

Emmanuel Lubezki, A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Guillaume Schiffman, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Janusz Kaminski, Cavalo de Guerra
Jeff Cronenweth, Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Robert Richardson, Hugo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

montagem

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinha

direção de arte

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

figurino

Anônimo
O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jane Eyre
W.E.

maquiagem

Albert Nobbs
A Dama de Ferro
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

trilha sonora

Alberto Iglesias, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Howard Shore, Hugo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Williams, Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Williams, As Aventuras de Tintim EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Ludovic Bource, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

canção

“Man or Muppet”, Os Muppets EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
“Real in Rio”, Rio EstrelinhaEstrelinha

mixagem de som

Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro Lado da Lua EstrelinhaEstrelinha

edição de som

Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Drive EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro Lado da Lua EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

efeitos visuais

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Gigantes de Aço EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Planeta dos Macacos: A Origem EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro lado da Lua EstrelinhaEstrelinha

documentário

Hell and Back Again
If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front
Paradise Lost 3: Purgatory
Pina EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Undefeated

documentário em curta-metragem

The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement
God is the Bigger Elvis
Incident in New Baghdad
Saving Face
The Tsunami and the Cherry Blossom

curta-metragem de animação

Dimanche
The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore
La Luna
A Morning Stroll
Wild Life

curta-metragem de ação

Pentecost
Raju
The Shore
Time Freak
Tuba Atlantic

1 Comment

Filed under Prêmios

O Artista

Jean Dujardin, Bérenice Bejo, Uggie

Na época em que o cinema não falava, foram feitos alguns dos melhores filmes produzidos até hoje. Nestes pouco mais de 30 anos de silêncio absoluto, surgiram também diretores que logo transformaram a função de cineasta num profissão de respeito. O filme ganhou status de obra de arte, seus protagonistas viraram estrelas e Hollywood, no coração de Los Angeles, a capital dessa nação chamada cinema. O Artista, o filme mudo de Michel Hazanavicius, é uma homenagem a esse período, a essa arte, as esses artistas.

Na verdade, não. Porque, soterrado na história dos filmes estão as comédias silenciosas com astros que duraram 2 ou 3 anos, os filmes de aventura extremamente eficientes de diretores que mal passavam de artesãos e não tinham exatamente um conceito e os melodramas, geralmente adaptações de livros e peças teatrais famosas, que de cinema tinham mais a intenção do que propriamente os atributos. É a essa segunda leva de filmes, a esse cinema que não está nos catálogos, que não aparece nas listas de melhores que O Artista saúda.

A maior qualidade de Michel Hazanavicius é fazer o mundo inteiro comprar como um marco um longa que pouco difere das paródias que dirigiu de filmes de espionagem, com agentes bobalhões. O Artista, muito antes de ser uma homenagem ao cinema popular mudo, é um filme de Michel Hazanavicius. Estão lá o protagonista simpaticão, a mocinha adorável, a história simples, o vilão (o cinema falado) e a trilha que embala tudo isso. A suposta ingenuidade do filme segue uma fórmula bastante usada pelo diretor.

No entanto, o que diferencia esse filme das cópias baratas que Hazanavicius produzia antes é todo o entorno. Primeiro, foi preciso que um diretor francês, desconhecido e dono de um currículo qualquer nota, saísse de seu país e invadisse o berço do cinema americano para fazer um filme sobre a transformação mais radical da história dessa arte, a invenção do cinema sonoro. Transformação que afetou a todos a grosso modo, mas que foi muito mais sensível em Hollywood. Mais do que isso, O Artista vira uma obra completamente particular ao se adaptar àquele formato de fazer filmes sem fazer disso um espetáculo.

O choque é mínimo. O que transborda no filme de Hazanavicius é a espontaneidade. O filme flui com uma leveza impressionante, passando pelos gêneros que homenageia, da comédia singela ao folhetim, com sequências de tensão e aventura. Sem pudores, este filme abraça todos os envolvidos se conectando àquele modus operandi numa simbiose em vários níveis. E fazer um filme leve e simples não impede o diretor de criar duas das cenas mais bonitas do ano. Numa delas, Peppy, a adorável Bérénice Bejo, se enamora do paletó de George. Na segunda, a chegada do som ao cinema vira um pesadelo para o protagonista, um Jean Dujardin inspirado.

Então, quando falarem que O Artista é um filme menor, concordem. Filmes menores também podem ser geniais.

 O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[The Artist, 2011, Michel Hazanavicius]

1 Comment

Filed under Resenha

Oscar 2012: apostas em 11/01

A corrida pelo Oscar dá muitas voltas e, desde que eu postei minhas primeiras previsões, em 27 de novembro, muita coisa mudou. A Invenção de Hugo Cabret, que era apenas uma boa aposta, ganhou muitas menções e chega bem à reta final, mas os frontrunners de melhor filme ainda parecem ser O Artista e o excelente Os Descendentes.

Um número incerto de indicados nesta categoria complica as previsões. A Academia definiu que serão entre 5 e 10 os concorrentes a melhor filme. A conta será matemática. Os filmes precisarão alcançar uma determinada porcentagem de votos para virar finalistas. Melhor seria assumir que foi uma cagada aumentar para dez o número de vagas e voltar para os cinco candidatos costumeiros. Mesmo assim, dá para projetar algumas coisas.

Meia-Noite em Paris veio comendo pelas beiradas e também parece uma indicação certeira. Histórias Cruzadas, sucesso de bilheteria e filme-fórmula, deve emplacar também. Cavalo de Guerra ainda tem boas chances, mas só porque os indicados são mais que 5. Aposto na indicação, mas o filme não parece tão forte. Já Os Homens que Não Amavam as Mulheres ganhou um reforço impressionante e deve mesmo aparecer entre os melhores filmes.

Minhas apostas para melhor filme ficariam assim (as estrelinhas são minhas avaliações pessoais sobre a qualidade dos candidatos):

filme
Jean Dujardin
1 O Artista, Michel Hazanavicius
George Clooney
2 Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Alexander Payne
Jude Law, Martin Scorsese, Asa Butterfield
3 A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Martin Scorsese
Woody Allen, Owen Wilson, Marion Cotillard
4 Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Woody Allen
Octavia Spencer, Viola Davis
5 Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinha, Tate Taylor
Steven Spielberg
6 Cavalo de Guerra, Steven Spielberg
Rooney Mara
7 Os Homens que Não Amavam as Mulheres, David Fincher

Eu pararia o número de indicados por aqui, mas caso eles sejam dez apostaria nesses para compor o time: O Homem que Mudou o Jogo, que começou bem sua campanha, parece guardar mais chances em outras categorias. Tudo pelo Poder era uma promessa, passou a corrida injustamente ignorado e ressurgiu com o Globo de Ouro. Tem chances, mas pequenas. A Árvore da Vida, a essa altura, seria uma surpresa na categoria principal.

George Clooney
8 Tudo pelo Poder EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, George Clooney
Brad Pitt
9 O Homem que Mudou o Jogo, Bennett Miller
Terrence Malick, Jessica Chastain
10 A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Terrence Malick
alternativas: Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Paul Feig; Tão Forte e Tão Perto, Stephen Daldry; Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, David Yates; Drive EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Nicolas Winding Refn; O Espião que Sabia Demais, Tomas Alfredson.

Tão Forte e Tão Perto, além de ter perdido os prazos para ser votado pelos críticos, parece não ter empolgado quase ninguém. Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2, O Espião que Sabia Demais e J. Edgar praticamente desapareceram. Missão Madrinha de Casamento tem mais chances do que todos eles.

direção
Martin Scorses
1 Martin Scorsese, A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Michel Hazanavicious
2 Michel Hazanavicius, O Artista
Alexander Payne
3 Alexander Payne, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Woody Allen, Owen Wilson, Rachel McAdams
4 Woody Allen, Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
David Fincher
5 David Fincher, Os Homens que Não Amavam as Mulheres
alternativas: Steven Spielberg, Cavalo de Guerra; Stephen Daldry, Tão Forte e Tão Perto.

Minhas cinco apostas são os indicados ao Directors Guild of America e essas listas quase nunca batem, mas vamos aguardar. Hazanavicious e Payne se mantêm bem fortes na disputa e recebem a companhia de Scorsese entre os frontrunners. Todos têm alguma chance de vitória. Woody Allen deve mesmo quebrar o jejum e ser indicado a melhor diretor 17 anos depois. A quinta vaga é o que se discute. Spielberg estava muito bem cotado, mas sem o DGA e o Globo de Ouro a situação fica estranha. Por isso, a indicação de Fincher, finalista do DGA, parece uma boa aposta. O Oscar tem o costume de abrir espaço para uma direção mais alternativa. Muitos ainda apostam em Terrence Malick, mas eu acho que suas chances acabaram. Já Stephen Daldry (3 filmes, 3 indicações) parece que vai falhar pela primeira vez.

ator
Hean Dujardin
1 Jean Dujardin, O Artista
George Clooney
2 George Clooney, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Brad Pitt
3 Brad Pitt, O Homem que Mudou o Jogo
Leonardo Di Caprio
4 Leonardo DiCaprio, J. Edgar
Michael Fassbender
5 Michael Fassbender, Shame
alternativas: Gary Oldman, O Espião que Sabia Demais; Ryan Gosling, Tudo pelo Poder EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Uma categoria que parece bem fácil de prever: Dujardin, Clooney, Pitt e Di Caprio estão indicados para o SAG, o Globo de Ouro e o Critics Choice. Ou seja, não aparecerem na lista do Oscar é bem difícil. Quem parece ter mais chances para ocupar a quinta vaga é Fassbender, que concorre ao GG e ao CC, mas foi ignorado pelo SAG (que preferiu Demián Bichir). Aposto nele, mas ainda acho que a Academia pode sacar uma surpresa da manga e reconhecer que foi o ano do Ryan Gosling (e indicá-lo por Tudo pelo Poder) ou lembrar de Gary Oldman, que foi esnobado pela maioria dos prêmios de críticos apesar dos elogios a sua interpretação. Lembram do Tommy Lee Jones alguns anos atrás?

atriz
Meryl Streep
1 Meryl Streep, A Dama de Ferro
Viola Davis
2 Viola Davis, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Glenn Close
3 Glenn Close, Albert Nobbs
Michelle Williams
4 Michelle Williams, Minha Semana com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Tilda Swinton
5 Tilda Swinton, We Need to Talk About Kevin
alternativas: Charlize Theron, Jovens Adultos; Elizabeth Olsen, Martha Marcy May Marlene.

Meio difícil não ser exatamente esta lista: Streep, Williams, Davis e Swinton são finalistas ao SAG, Globo de Ouro e CC. As duas primeiras fazem figuras reais que o Oscar adora. A terceira foi a primeira frontrunner da temporada e lidera um filme de elenco. Apenas Swinton parece mais frágil justamente por seu filme ser mais “difícil”. Mesmo assim, ela goza de bastante prestígio e já inclusive ganhou um Oscar. Por sinal, essas quatro somam 20 indicações e 3 Oscars. Glenn Close, que interpreta um homem e cujo pecado foi não ser indicada ao Critics Choice (pecado light, né?), pode juntar suas 5 indicações a essa conta. Olhando para as outras possibilidades (Theron, cujo filme teve uma uma recepção morna; Olsen, que precisava de muito apoio prévio para superar sua condição de novidade; e Rooney Mara), melhor ficar com essa lista aqui.

ator coadjuvante
Christopher Plummer
1 Christopher Plummer, Toda Forma de Amor EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Albert Brooks
2 Albert Brooks, Drive EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Kenneth Branagh
3 Kenneth Branagh, Minha Semana com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Nick Nolte
4 Nick Nolte, Guerreiro
Jonah Hill
5 Jonah Hill, O Homem que Não Mudou o Jogo
alternativas: Armie Hammer, J. Edgar; Max von Sydow, Tão Forte e Tão Perto

Curiosamente, os dois atores mais certos na disputa (Plummer e Branagh, ambos concorrentes ao SAG, aos Globos e ao Critics Choice), não me empolgaram muito. Brooks, que falhou no SAG, mas concorre ao Globo de Ouro e ao CC – e tem muita moral em Hollywood, me parece igualmente um lock. As duas vagas finais é que são as mais disputadas. Nick Nolte, finalista do SAG e do CC, é uma excelente aposta: já foi indicado duas vezes, é bastante respeitado e tem história. Jonah Hill, por sua vez, com as indicações ao SAG e aos Globos, não pode ser ignorado. As chances de Hammer são remotas, mas a Academia adora indicar casal. Quem sabe? Max von Sydow viu suas chances esvaírem, mas eu não descartaria uma surpresa. Patton Oswalt e Viggo Mortensen concorrem em outra dimensão.

atriz coadjuvante
Octavia Spencer
1 Octavia Spencer, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jessica Chastain
2 Jessica Chastain, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Shailene Woodley
3 Shailene Woodley, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Bérénice Bejo
4 Bérénice Bejo, O Artista
Melissa McCarthy
5 Melissa McCarthy, Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
alternativas: Janet McTeer, Albert Nobbs; Carey Mulligan, Shame.

As duas atrizes de Histórias Cruzadas, Octavia Spencer e Jessica Chastain, são as favoritas para ganhar uma indicação. Ambas concorrem ao Globo de Ouro, ao SAG e ao Critics Choice. Embor Spencer pareça preencher mais os requisitos de vencedora (papel simpático e caricato), é Chastain merece muito mais o prêmio, com sua perua ingênua e sexy, a melhor interpretação do filme. Bejo tem as mesmas indicações. Só não está melhor na corrida porque é estrangeira. McTeer não seria uma surpresa já que foi indicada ao SAG e aos Globos, mas o carisma da ótima Woodley, finalista no Globo de Ouro e no CC, mas não lembrada pelo SAG, em sua condição de revelação, me parece uma aposta melhor. McCarthy concorre ao SAG e ao CC, mas falhou nos Globos. No entanto, seu tipo popular e sua fama por “Mike & Molly” podem/devem ajudar. As chances de Mulligan minguaram e as de Vanessa Redgrave parecem ter virado pó.

1 Comment

Filed under Prêmios

Frankies 2011

filme brasileiro

O Céu sobre os Ombros, Girimunho, O Palhaço, Riscado, Mãe e Filha

O Céu Sob os Ombros, Sérgio Borges

Girimunho, Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina

Mãe e Filha, Petrus Cariry

O Palhaço, Selton Mello

Riscado, Gustavo Pizzi

efeitos visuais

A Árvore da Vida
O Caçador de Trolls
Capitão América: o Primeiro Vingador
Super 8
X-Men: Primeira Classe

som

A Árvore da Vida
O Cavalo de Turim
Incontrolável
Missão Impossível: Protocolo Fantasma
Super 8

maquiagem

Cisne Negro
Fausto
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2
Juan dos Mortos
X-Men: Primeira Classe

animação

John Lasseter

Carros 2, John Lasseter e Brad Lewis

Jennifer Yuh

Kung Fu Panda 2, Jennifer Yuh

Gore Verbinski

Rango, Gore Verbinski

Carlos Saldanha

Rio, Carlos Saldanha

Eric Khoo

Tatsumi, Eric Khoo

documentário

Academia de Boxe, Frederick Wiseman
The Black Power Mixtape 1967-1975, Göran Olsson
Isto Não é um Filme, Jafar Panahi e Mojtaba Mirtahmasb
Pina, Wim Wenders
Reagan, Eugene Jarecki

filme de estréia

Las Acacias, Pablo Giorgelli
The Black Power Mixtape 1967-1975, Göran Olsson
O Céu Sob os Ombros, Sérgio Borges
Girimunho, Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina
Michael, Markus Schleinzer

elenco

Juan dos Mortos
Missão Madrinha de Casamento
O Palhaço
Tudo pelo Poder
O Vencedor

ator coadjuvante

Anton Adasinsky

Anton Adasinsky, Fausto

Christian Bale

Christian Bale, O Vencedor

Matt Damon

Matt Damon, Bravura Indômita

Moacyr Franco

Moacyr Franco, O Palhaço

Shahab Hossein

Shahab Hosseini, A Separação

figurinos

Anna B. Sheppard, Capitão América
Eiko Ishioka, Imortais
Lidiya Kryukova, Fausto
Mary Zophres, Bravura Indômita
Pascaline Chavanne, Potiche: Esposa-Troféu

direção de arte

Chris Seagers, X-Men: Primeira Classe
Jack Fisk, A Árvore da Vida
Rick Heinrichs, Capitão América
Tom Foden, Imortais
Elena Zhukova, Fausto

montagem

Frederick Wiseman, Academia de Boxe
Marina Meliande, Girimunho
Mat Newman, Drive
Roderick Jaynes, Bravura Indômita
Toni Froschhammer, Pina

atriz coadjuvante

Charlotte Rampling

Charlotte Rampling, Melancolia

Ellen Fanning

Elle Fanning, Super 8

Jessica Chastain

Jessica Chastain, A Árvore da Vida

Maricel Álvarez

Maricel Álvarez, Biutiful

Rosamund Pike

Rosamund Pike, A Minha Versão do Amor

canção

“Life’s a Happy Song” (Jason Segel e Amy Adams), Os Muppets
“Man or Muppet” (Jason Segel e Os Muppets), Os Muppets
“Pictures in My Head” (Kermit the Frog e os Muppets), Os Muppets
“Pretty Bird” (Jermaine Clement), Rio
“Rango Theme Song” (Los Lobos), Rango

trilha sonora

Alexandre Desplat, Tudo pelo Poder
Cliff Martinez, Contágio
Cliff Martinez, Drive
Hans Zimmer, Rango
Plínio Profeta, O Palhaço

fotografia

Adrian Teijido, O Palhaço
Bruno Delbonnel, Fausto
Emmanuel Lubezcki, A Árvore da Vida
Fred Kelemen, O Cavalo de Turim
Greig Fraser, Deixe-me Entrar

ator

Andy Serkis

Andy Serkis, Planeta dos Macacos: A Origem

Louis-Do de Lencquesaing

Louis-Do de Lencquesaing, O Pai dos Meus Filhos

Ryan Gosling

Ryan Gosling, Drive

Ryan Gosling

Ryan Gosling, Namorados para Sempre

George Clooney

Ryan Gosling, Tudo pelo Poder

roteiro adaptado

Aleksandr Sokurov e Marina Koreneva, Fausto
Beau Willimon, George Clooney e Grant Heslov, Tudo pelo Poder
Ethan Coen e Joel Coen, Bravura Indômita
Hossein Amini, Drive
Pedro Almodóvar (com Agustín Almodóvar), A Pele que Habito

roteiro original

Asghar Farhadi, A Separação
Pablo Giorgelli e Salvador Roselli, Las Acacias
Felipe Bragança, Girimunho
Woody Allen, Meia-Noite em Paris
Marcelo Vindicatto e Selton Mello, Palhaço, O

atriz

Camila Pitanga, Beto Brant, Renato Ciasca

Camila Pitanga, Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios

Hailee Steinfeld

Hailee Steinfeld, Bravura Indômita

Jennifer Lawrence

Jennifer Lawrence, Inverno da Alma

Karine Telles

Karine Telles, Riscado

Kirsten Dunst, Lars Von Trier

Kirsten Dunst, Melancolia

cena do ano

“O acidente do trem”, Super 8
“A delegacia”, O Palhaço
“O duelo ao microfone”, Missão Madrinha de Casamento
“I Started a Joke”, O Vencedor
“Não!”, Planeta dos Macacos: A Origem

direção

Béla Tarr, O Cavalo de Turim
Frederick Wiseman, Academia de Boxe
Nicolas Winding Refn, Drive
Pedro Almodóvar, A Pele que Habito
Selton Mello, O Palhaço

filme do ano

Béla Tarr

O Cavalo de Turim, Béla Tarr

Ryan Gosling

Drive, Nicolas Winding Refn

Jafar Panahi

Isto Não é um Filme, Jafar Panahi e Mojtaba Mirtahmasb

Selton Mello, Paulo José

O Palhaço, Selton Mello

Elena Anaya, Pedro Almodóvar, Antonio Banderas

A Pele que Habito, Pedro Almodóvar

Leave a Comment

Filed under Prêmios

Top 20: melhores filmes de 2011

Houve anos bem melhores para o cinema, mas 2011 teve seus momentos. Muitos deles aconteceram ao largo do circuito comercial: a Mostra Hitchcock levou às telas do Cinesesc e do CCBB a obra completa do mais aclamado diretor de cinema do planeta, o Indie proporcionou a retrospectiva do húngaro Béla Tarr, assim como a exibição em cinema do épico de sete horas e meia Sátátango. E lá do Irã veio o filme mais corajoso do ano, Isto Não é um Filme, que Jafar Panahi, codirigiu e estrelou de dentro do apartamento onde cumpre prisão domiciliar. Reclamar de 2011 não está certo.

Béla Tarr

Um punhado de grandes longas chegaram ao circuito. Foi o primeiro ano em que Apichatpong Weerasethakul e Brillante Mendoza realizaram este feito, por exemplo. Neste post, eu relacionei os 20 melhores filmes que estrearam comercialmente no Brasil ao longo do ano. Mas, antes deles, aqueles que quase chegaram lá.

Pablo Stoll

menções honrosas

Adeus, Primeiro Amor, Mia Hansen-Love; Contágio, Steven Soderbergh; Deixe-me Entrar, Matt Reeves; Hiroshima – Um Musical Silencioso, Pablo Stoll; Melancolia, Lars Von Trier; Pacific, Marcelo Pedroso; Planeta dos Macacos: a Origem, Rupert Wyatt; Singularidades de uma Rapariga Loura, Manoel de Oliveira; Turnê, Matthieu Amalric; X-Men: Primeira Classe, Matthew Vaughn.

E agora a lista final:

Rose Byrne, Kristen Wiig
20 Missão Madrinha de Casamento
Bridesmaids, Paul Weig
Elle Fanning, J.J. Abrams
19 Super 8
Super 8, JJ Abrams
Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
18 O Garoto da Bicicleta
Le Gamin au Veló, Jean-Pierre e Luc Dardenne
Sérgio Borges
17 O Céu sob os Ombros
O Céu sob os Ombros, Sérgio Borges
Elle Fanning, Sofia Coppola
16 Um Lugar Qualquer
Somewhere, Sofia Coppola, 2010
James Wan, Rose Byrne, Patrick Wilson
15 Sobrenatural
Insidious, James Wan, 2010
Ryan Gosling, Michelle Williams, Derek Cianfrance, Blue Valentine
14 Namorados para Sempre
Blue Valentine, Derek Cianfrance, 2010
George Clooney
13 Tudo pelo Poder
The Ides of March, George Clooney
Terrence Malick
12 A Árvore da Vida
The Tree of Life, Terrence Malick
Abbas Kiarostami, Juliette Binoche
11 Cópia Fiel
Copie Conforme, Abbas Kiarostami, 2010
Christian Bale
10 O Vencedor
The Fighter, David O. Russell, 2010
Noa Bressane, Bruno Safadi
9 Belair
Belair, Noa Bressane e Bruno Safadi, 2010
Woody Allen, Owen Wilson, Marion Cotillard
9 Meia-Noite em Paris
Midnight in Paris, Woody Allen, 2011
Hailee Steinfeld
7 Bravura Indômita
True Grit, Joel e Ethan Coen, 2010
Xavier Beauvois
6 Homens e Deuses
Des Hommes et des Dieux, Xavier Beauvois, 2010
Elena Anaya, Pedro Almodóvar, Antonio Banderas
5 A Pele que Habito
La Piel que Habito, Pedro Almodóvar
Jafar Panahi
4 Isto Não é um Filme
In Film Nist, Jafar Panahi e Mojtaba Mirtahmasb
Agnes Varda
3 As Praias de Agnès
Las Plages de Agnès, Agnès Varda
Apichatpong Weerasethakul
2 Tio Boonmee que Pode Recordar Suas Vidas Passadas
Loong Boonmee Raleuk Chat, Apichatpong Weerasethakul, 2010
Selton Mello, Paulo José
1 O Palhaço
O Palhaço, Selton Mello

É difícil defender algo que você ama demais, mas nenhum filme que eu vi em 2011 mexeu comigo como O Palhaço. A história do homem em conflito que tenta buscar direção e sentido para sua vida é filmada com uma melodia que me contagiou. Desde que a trilha se revelou nos minutos iniciais do filme, eu já sabia que meu destino estava selado. A música estabelece exatamente o que Selton Mello pretende para o filme: o encontro entre o autoral e o popular. Isto está no tema, na trilha e na maneira de filmar. Está na concepção do elenco como um grupo. Está nos movimentos de câmera cuidadosos, na direção de arte caprichada e nas participações carinhosas. Selton enche o filme delas, mas faz valer cada uma. Moacyr Franco, como o delegado, é a melhor delas.

O longa tenta buscar o meio do caminho entre a herança e a missão, entre o ser e o dever. E, nessa jornada, encontra a sensibilidade sem se esforçar muito. O diretor tinha enganado a gente com sua estreia, Feliz Natal, um filme visualmente bonito, rigoroso e afetado. O cineasta que ele escondia é esse aqui que dirigiu ‎O Palhaço, uma pequena obra-prima, o melhor filme do ano. É impossível não parir adjetivos. Selton comanda o filme como quem embala um filho, com amor mesmo. O Palhaço é autêntico, doce, sincero. De uma beleza incrível.

1 Comment

Filed under Listas

Top 10: piores filmes de 2011

Minha lista anual de piores filmes segue a lógica de sempre: eleger os longas que mais mancham o nome do cinema. Tem filme que é tão ruim que nem me abala para assisti-lo. Portanto, quem espera ver coisas como Cilada.com ou Piratas do Caribe vai se frustrar. Aqui só tem filme importante. Pro bem e pro mal.

Emily Browning

10 Sucker Punch – Mundo Surreal
Sucker Punch, Zack Snyder

A infantilização do cinema de ação. Os efeitos visuais mais chatos do ano. E aquela câmera lenta reinante.

Seth Rogen

9 Besouro Verde
The Green Hornet, Michel Gondry

O filme mais apático do ano, embora todos os envolvidos pensem exatamente o contrário. Seth Rogen, meu filho, cadê você?

Angelina Jolie, Johnny Depp

8 O Turista
The Tourist, Florian Henckel von Donnersmarck

O cara faz A Vida dos Outros e depois lança isso aqui? Falta química, falta timing, falta filme.

Cher

7 Burlesque
Burlesque, Steve Antin

Celebrar o kitsch é uma coisa. Celebrar a falta de talento é outra. E como pode um musical em que todas as canções são horrorosas?

Mel Gibson

6 Um Novo Despertar
The Beaver, Jodie Foster

Tudo é levado muito, muito sério, mas a história é sobre um homem e seu castor imagináro. Como superar isso?

Bruna Lombardi

5 Onde Mora a Felicidade?
Onde Mora a Felicidade?, Carlos Albert Riccelli

Pode um filme ser absolutamente ruim em todos os aspectos? Pode se você acha que dá emular Almodóvar.

Anne Hathaway, Jim Sturges

4 Um Dia
One Day, Lone Scherfig

O filme percorre 20 anos e não chega a lugar nenhum. O fardo é chegar ao final sem bocejar.

Nicolas Cage, Nicole Kidman

3 Reféns
Trepass, Joel Schumacher

Quando você acha que não poderia ser pior do que já está, Joel Schumacher prova que é. E Nicolas Cage, sempre ele, adora pagar mico.

Vik Muniz

2 Lixo Extraordinário
Waste Land, Lucy Walker, Karen Harley e João Jardim

Um exercício de onanismo e auto-celebração. Vik Muniz pode ter uma bela obra, mas ela fica menor quando a gente vê o quanto ele se acha fodão.

Lubna Azabal

1 Incêndios
Incendies, Dennis Villeneuve

Depois de fazer um belo filme, Denis Villeneuve entrega esta lástima aqui. Um longa que se faz interessante ao longo de sua duração, mas cujo “segredo” final é um dos capítulos mais lamentáveis da crashidiotização do cinema atual, que se baseia nas coincidências pra dar lição de moral.

6 Comments

Filed under Listas