Monthly Archives: outubro 2009

Top 50: Mostra de SP 1999-2008

Pelas minhas contas, eu já vi mais de 400 filmes durante as edições da Mostra de Cinema de São Paulo. Este ano é especial para mim porque é minha décima Mostra, um evento que mudou minha vida, me trouxe para São Paulo e me fez criar este blogue. Para marcar a data, resolvi sacar do bolso mais um deliciosa listinha. Desta vez, com os 50 melhores filmes que eu vi nesses meus anos de Mostra. Sintam-se à vontade para discordar e lançar suas listas também.

Arnaud Desplechin

David Cronenberg

Karim Ainouz

1 Reis e Rainha, Arnaud Desplechin
2 Marcas da Violência, David Cronenberg
3 O Céu de Suely, Karim Aïnouz
4 Em Paris, Christophe Honoré
5 O Novo País, Geir hansteen Jorgensen
6 Em Busca da Vida, Jia Zhang-Ke
7 Dolls, Takeshi Kitano
8 Jogo de Cena, Eduardo Coutinho
9 Aquele Querido Mês de Agosto, Miguel Gomes
10 A Questão Humana, Nicolas Klotz

11 Sonata de Tóquio, Kyoshi Kurosawa
12 Síndromes e um Século, Apichatpong Weerasethakul
13 Um Conto de Natal, Arnaud Desplechin
14 Ser e Ter, Nicolas Philibert
15 Encontros e Desencontros, Sofia Coppola
16 Canções de Amor, Christophe Honoré
17 Agora ou Nunca, Mike Leigh
18 Whisky, Juan Pablo Rebella, Pablo Stoll
19 Gerry, Gus Van Sant
20 Arca Russa, Alexander Sokurov

21 Oldboy, Park Chan-wook
22 À Prova de Morte, Quentin Tarantino
23 Dez, Abbas Kiarostami
24 Deixa Ela Entrar, Tomas Alfredson
25 Caçador de Sonhos, Buddahdev Dasgupta
26 O Crocodilo, Nanni Moretti
27 Cinema, Aspirina e Urubus, Marcelo Gomes
28 A Menina Santa, Lucrecia Martel
29 Estamos Bem Mesmo Sem Você, Kim Rossi Stuart
30 Casa Vazia, kim ki-duk

31 O Quarto do Filho, Nanni Moretti
32 O Filho da Noiva, Juan José Campanella
33 Verão Feliz, Takeshi Kitano
34 Vive L’Amour, Tsai Ming Liang
35 Zona de Conflito, Tim Roth
36 Mutum, Sandra Kogut
37 Amor em 5 Tempos, François Ozon
38 Moloch, Alexander Sokurov
39 O Retorno do Idiota, Sasa Gedeon
40 Nenhum a Menos, Zhang Yimou

41 Onde a Terra Acaba, Sergio Machado
42 Os Atores do Teatro Queimado, Rithy Panh
43 Família Rodante, Pablo Trapero
44 Planeta Terror, Robert Rodriguez
45 A Lula e a Baleia, Noah Baumbach
46 O Quinto Império, Manoel de Oliveira
47 Exílio no Iraque, Bahman Ghobadi
48 Half Nelson, Ryan Fleck
49 Um Mundo Menos Pior, Alejandro Agresti
50 Edifício Master, Eduardo Coutinho

6 Comments

Filed under Listas

Oscar 2010: candidatos a filme estrangeiro

Saiu hoje a lista dos 65 longas que disputarão uma vaga para concorrer ao Oscar de filme estrangeiro. Alguns destaques óbvios são os indicados pela França, Un Prophete, e da Alemanha, A Fita Branca, que ganhou a Palma de Ouro em Cannes neste ano. O iraniano À Procura de Elly tem sido bastante elogiado. Samson & Delilah, da Austrália também gerou comentários positivos. O romeno Politist, Adjectiv, muito bom, não parece ter grandes chances. Mother, filme de Bong Joon-ho indicado pela Coréia do Sul, é uma incógnita pela mistura de drama e suspense. É um grande filme.

O Brasil indicou Salve Geral!, de Sérgio Rezende, que não parece muito fazer o perfil da Academia, mas como nessa categoria tudo pode acontecer, não descartem uma possível indicação. Da América Latina, outros filmes que chamam atenção são o argentino O Segredo dos Seus Olhos, do mesmo diretor de O Filho da Noiva, e o peruano A Teta Assustada, Urso de Ouro em Berlim.

Os filmes do Peru e do Brasil já entraram em circuito em território brasileiro. Na Mostra de Cinema de São Paulo, que começa na sexta-feira da semana que vem, têm exibição confirmada os selecionados por Alemanha, Austrália, Bélgica (The Misfortunates), Canadá (Eu Matei a Minha Mãe), Colômbia (As Viagens do Vento), Coréia, Irã, México (Backyard), Romênia e Uruguai (Mau Dia para Pescar). Os filmes já vistos por mim estão cotados na lista abaixo.

África do Sul, White Wedding, Jann Turner
Albânia, Alive!, Artan Minarolli
Alemanha, A Fita Branca EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Michael Haneke
Argentina, O Segredo dos Seus Olhos EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Juan Jose Campanella
Armênia, Autumn of the Magician, Rouben Kevorkov and Vaheh Kevorkov
Austrália, Samson & Delilah EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Warwick Thornton
Áustria, For a Moment Freedom, Arash T. Riahi
Bangladesh, Beyond the Circle, Golam Rabbany Biplob
Bélgica, The Misfortunates, Felix van Groeningen
Bolívia, Zona Sur EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Juan Carlos Valdivia
Bósnia e Herzegovina, Nightguards, Namik Kabil
Brasil, Salve Geral! EstrelinhaEstrelinha, Sergio Rezende
Bulgária, The World Is Big and Salvation Lurks around the Corner, Stephan Komandarev
Canadá, Eu Matei a Minha Mãe EstrelinhaEstrelinha, Xavier Dolan
Cazaquistão, Kelin, Ermek Tursunov
Chile, Dawson, Isla 10, Miguel Littin
China, Eterno Feitiço, Chen Kaige
Colômbia, As Viagens do Vento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Ciro Guerra
Coréia, Mother EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Bong Joon-ho
Croácia, Donkey, Antonio Nuic
Cuba, Fallen Gods, Ernesto Daranas
Dinamarca, Terribly Happy, Henrik Ruben Genz
Eslováquia, Broken Promise, Jiri Chlumsky
Eslovênia, Landscape No. 2, Vinko Moderndorfer
Espanha, The Dancer and the Thief, Fernando Trueba
Estônia, December Heat, Asko Kase
Filipinas, Grandpa Is Dead, Soxie H. Topacio
Finlândia, Letters to Father Jacob, Klaus Haro
França, Un Prophete EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Jacques Audiard
Geórgia, The Other Bank, George Ovashvili
Grã-Bretanha, Afghan Star, Havana Marking
Grécia, Slaves in Their Bonds, Tony Lykouressis
Holanda, Winter in Wartime, Martin Koolhoven
Hong Kong, Prince of Tears, Yonfan
Hungria, Chameleon, Krisztina Goda
Islândia, Reykjavik-Rotterdam, Oskar Jonasson
Índia, Harishchandrachi Factory, Paresh Mokashi
Indonésia, Jamila and the President, Ratna Sarumpaet;
Irã, À Procura de Elly EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Asghar Farhadi
Israel, Ajami, Scandar Copti and Yaron Shani
Itália, Baaria, Giuseppe Tornatore
Japão, Nobody to Watch over Me, Ryoichi Kimizuka
Lituânia, Vortex, Gytis Luksas
Luxemburgo, Refractaire, Nicolas Steil
Macedônia, Wingless, Ivo Trajkov
Marrocos, Casanegra, Nour-Eddine Lakhmari
México, Backyard EstrelinhaEstrelinha, Carlos Carrera
Noruega, Max Manus, Espen Sandberg and Joachim Roenning, directors;
Peru, A Teta Assustada EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Claudia Llosa
Polônia, Reverse, Borys Lankosz
Portugal, Doomed Love, Mario Barroso
Porto Rico, Kabo and Platon, Edmundo H. Rodriguez
República Checa, Protektor, Marek Najbrt
Romênia, Politist, Adjectiv EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Corneliu Porumboiu
Rússia, Ward No. 6 EstrelinhaEstrelinha, Karen Shakhnazarov
Sérvia, St. George Shoots the Dragon, Srdjan Dragojevic
Sri Lanka, The Road from Elephant Pass, Chandran Rutnam;
Suécia, Involuntary, Ruben Ostlund
Suíça, Home EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Ursula Meier
Tailândia, Best of Times, Yongyoot Thongkongtoon
Taiwan, No Puedo Vivir sin Ti, Leon Dai
Turquia, I Saw the Sun, Mahsun Kirmizigul
Uruguai, Mau Dia para Pescar EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha, Alvaro Brechner
Venezuela, Libertador Morales, El Justiciero, Efterpi Charalambidis
Vietnã, Don’t Burn It, Dang Nhat Minh

11 Comments

Filed under Prêmios

Top 20: Festival do Rio 2009

A semana de repescagem do Festival do Rio termina hoje e aqui fica meu registro final sobre o festival, que eu acompanhei por mais de três semanas. Nenhum filme conseguiu bater o mexicano que eu vi no primeiro dia de festival e que foi meu favorito desta edição. Além dele chamaram a atenção um dos melhores filmes de Michael Haneke, um memorial em forma de documentário de Agnès Varda, uma insólita releitura (ou não) de um filme de Abel Ferrara (pelo menos no conceito) feita por Werner Herzog e um épico operístico assinado por Marco Bellochio. Segue minha lista de melhores (e piores) do Festival do Rio 2009.

Fernando Eimbcke

1 Lake Tahoe, Fernando Eimbcke

Michael Haneke

2 A Fita Branca, Michael Haneke

Werner Herzog

3 The Bad Lieutenant: Port of Call, New Orleans, Werner Herzog

Agnes Varda

4 As Praias de Agnès, Agnès Varda

Marco Bellochio

5 Vincere, Marco Bellochio

Alain Resnais

6 As Ervas Daninhas, Alain Resnais

Bong Joon-ho

7 Mother, Bong Joon-ho

Quentin Tarantino

8 Bastardos Inglórios, Quentin Tarantino

Corneliu Porumboiu

9 Politist, Adjectiv, Corneliu Porumbouiu

Jane Campion

10 Brilho de uma Paixão, Jane Campion

e mais:

11 Distante Nós Vamos, Sam Mendes
12 Singularidades de uma Rapariga Loura, Manoel de Oliveira
13 Aconteceu em Woodstock, Ang Lee
14 Distrito 9, Neill Blomkamp
15 Hotel Atlântico, Suzana Amaral
16 White Material, Claire Denis
17 Abraços Partidos, Pedro Almodóvar
18 Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, Karim Aïnouz e Marcelo Gomes
19 Boogie, Gustavo Cova
20 Sedução, Lone Scherfig

melhores atores

1 Nicolas Cage, The Bad Lieutenant: Port of Call, New Orleans
2 Christoph Waltz, Bastardos Inglórios
3 Burghart Klaussner, A Fita Branca
4 André Dussolier, As Ervas Daninhas
5 Ben Foster, The Messenger

melhores atrizes

1 Kim Hye-ja, Mother
2 Blanca Portillo, Abraços Partidos
3 Imelda Staunton, Aconteceu em Woodstock
4 Allison Janney, Distante Nós Vamos
5 Giovanna Mezzogiorno, Vincere

melhor cena

A canção no meio da floresta em Morrer como um Homem

melhor canção

“I Just Called to Say I Love You”, Porco Cego Quer Voar

piores filmes

1 Insolação, Daniela Thomas e Felipe Hirsch
2 A Casa Nucingen, Raoul Ruiz
3 Boy, Auraeus Solito

outros filmes do festival:

35 Doses de Rum, Claire Denis
(500) Dias com Ela, Marc Webb
Adam, Max Mayer
Amália, Carlos Coelho da Silva
American Boy, Martin Scorsese
American Prince, Tommy Pallotta
O Amor Segundo B. Schianberg, Beto Brant
Amreeka, Cherien Dabis
Antes que o Mundo Acabe, Ana Luiza Azevedo
Aquário, Andrea Arnold
Barba Azul, Catherine Breillat
Uma Barragem contra o Pacífico, Rithy Panh
Carmel, Amos Gitai
Coco Antes de Chanel, Anne Fontaine
Coco Chanel & Igor Stravinsky, Jan Kounen
Como Desenhar um Círculo Perfeito, Marco Martins
Cornucópia, Juan Carlos Tabio
Corações em Conflito, Lukas Moodysson
A Criada, Sebastian Silva
Deuses, Josué Méndez
O Dia da Transa, Lynn Shelton
Doce Perfume, Andrzej Wajda
An Englishman in New York, Richard Laxton
Erótica Aventura, Jean-Claude Brisseau
Eu, Ela e Minha Alma, Sophie Barthes
Eu Matei a Minha Mãe, Xavier Dolan
A Física da Água, Felice Farina
Julie & Julia, Nora Ephron
O Lar das Borboletas Escuras, Dome Karukoski
London River, Rachid Bouchareb
Luisa, Gonzalo Calzada
Mais Tarde Você Vai Entender, Amos Gitai
Maradona, Emir Kusturica
Marching Band, Claude Miller
The Messenger, Oren Moverman
Mommo, Atalay Tasdiken
Morrer como um Homem, João Pedro Rodrigues
Nova York, Eu Te Amo, vários
Parada, Marco Pontecorvo
Pequeno Soldado, Annette K. Olesen
Porco Cego Quer Voar, Edwin
Purgatório, Roberto Rochin
O Rei da Fuga, Alain Guiraudie
Ricky, François Ozon
Sede de Sangue, Chan-wook Park
Séraphine, Martin Provost
Os Tempos de Harvey Milk, Rob Epstein
The Time That Remains, Elia Suleiman
Tokyo!, Bong Joon-ho, Leos Carax e Michel Gondry
Viagem aos Pirineus, Arnaud Larrieu e Jean-Marie Larrieu
Uma Vida Nova em Folha, Ounie Lecomte

3 Comments

Filed under Listas

Festival do Rio 2009: post 9

Beto Brant

O Amor Segundo B. Schianberg EstrelinhaEstrelinha
[O Amor Segundo B. Schianberg, Beto Brant, 2009]

O novo filme de Beto Brant é, como o próprio diretor anunciou na sessão, uma edição do material rodado por ele como uma série de TV. Livremente inspirado num personagem secundário de um livro de Marçal Aquino, o filme acompanha a relação entre um ator e uma videasta e suas percepções do mundo, do amor, da vida. O material começa bastante interessante, com os personagens tentando entender o mundo em sua volta, num discurso livre e soluções visuais inventivas para compensar o fato do filme ter sido todo rodado com câmeras de segurança (a definição da imagem e do som é bem ruim). No entanto, rapidamente o filme assume sua persona “artista” e, numa tentativa de ser um trabalho de autor, acaba com um discurso ingênuo e, às vezes, vazio.

Coco Chanel & Igor Stravinsky

Coco Chanel & Igor Stravinsky EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Coco Chanel & Igor Stravinsky, Jan Kounen, 2009]

Um filme surpreendente de certa forma. Kounen trabalhou com um recorte específico, a relação entre Chanel e Stravinsky (o filme só foge dessa clausura na sequência em que a estilista vai aprovar a fragrância de seu perfume). Embora pareça limitador, esse terreno fechado faz o material crescer. O diretor tem uma habilidade inegável em administrar tensões (usando muito bem a música de Stravinsky e a trilha original de Gabriel Yared), sobretudo na sequência da apresentação, logo no início. O que faltou ao filme foi uma protagonista mais expressiva do que Anna Mouglalis.

Ana Luiza Mendonca

Antes que o Mundo Acabe EstrelinhaEstrelinha
[Antes que o Mundo Acabe, Ana Luiza Azevedo, 2009

Extremamente simpático é o melhor que se pode dizer do primeiro longa de Ana Luiza Azevedo. É tudo que a fragilidade dramática do filme permite. É visível - e incômodo - como o roteiro e montagem tentam emular a multi-referenciação pop dos filmes de Jorge Furtado, co-autor do roteiro, mas não têm o mesmo frescor de um O Homem que Copiava, por exemplo. Nem o frescor, nem a capacidade de encenação. Os adolescentes, embora se esforcem, são muito fracos e os diálogos - e a áté a narração da irmãzinha, que deveria ser o "personagem fofo" do filme - soam artificiais.

Luisa

Luisa EstrelinhaEstrelinha
[Luisa, Gonzalo Calzada, 2009]

O filme de Gonzalo Calzada parte de um plot interessantíssimo: a protagonista, que vive reclusa, perde no mesmo dia seu gato e os dois empregos. Mas o que poderia ser um olhar interessante sobre os mecanismos da solidão, mesmo em tom de comédia, apela para um humor insólito que remete a alguns filmes independentes americanos melancólicos e, na maioria das vezes, não funciona muito. Mesmo Leonor Manso, que começa o filme com uma performance notável cai na obviedade e fica por lá mesmo.

Lynn Shelton

O Dia da Transa EstrelinhaEstrelinha
[Humpday, Lynn Shelton, 2009]

Outro filme que começa mais interessante do que termina. Não necessariamente pelo que acontece ou deixa de acontecer, mas porque não sustenta um discurso de forma equilibrada. A diretora usa a fórmula do filme de bate papo para dar um ar inteligente ao longa. Consegue alguns bons momentos, mas não resolve muita coisa. Os três atores principais, sobretudo Mark Duplass, têm boa presença.

Comentários rápidos e primeiras impressões no twitter.

Outros filmes do festival: 35 Doses de Rum, (500) Dias com Ela, Abraços Partidos, Aconteceu em Woodstock, Amália, Amreeka, The Bad Liutenant: Port of Call, New Orleans, Barba Azul, Uma Barragem contra o Pacífico, Boogie, Brilho de uma Paixão, A Casa Nucingen, Cornucópia, A Criada, Distante Nós Vamos, Distrito 9, Doce Perfume, An Englishman in New York, Erótica Aventura, Eu Matei a Minha Mãe, Eu, Ela e Minha Alma, A Física da Água, Hotel Atlântico, Insolação, Julie & Julia, Lake Tahoe, London River, Marching Band, Mommo, Mother, Nova York, Eu Te Amo, Pequeno Soldado, Politist, Adjectiv As Praias de Agnes, O Rei da Fuga, Ricky, Singularidades de uma Rapariga Loura, Viagem aos Pirineus, Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, Vincere.

1 Comment

Filed under Festival do Rio, Mostras

Festival do Rio 2009: post 7

Rithy Panh

Uma Barragem contra o Pacífico EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Une Barrage contre le Pacifique, Rithy Panh, 2008]

Um filme bastante ordinário para alguém com a assinatura de Panh. O diretor parece ter se dobrado às regras do cinema narrativo de ficção, talvez pelo peso de adaptar um texto de Marguerite Duras. Isabelle Huppert, correta, comanda o elenco de novatos medianos numa trama que se situa no Camboja ocupado, mas gasta muito mais tempo na rede de intrigas familiar.

Corneliu Porumboiu

Polícia, Adjetivo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Politist, Adjectiv, Corneliu Porumboiu, 2009]

O segundo longa do diretor do bom A Leste de Bucarete vai mais além em sua análise da sociedade romena, investigando a burocracia policial. Porumboiu contraria as expectativas, deixando a investigação feita pelo protagonista sempre num plano secundário em relação ao cotidiano do personagem. O diretor abusa dos planos fixos, do ritmo longo e do humor esquisito na composição deste cotidiano, buscando estranhamento mesmo. O resultado tem momentos forçados, mas no geral mostra um filme interessantíssimo, com uma sequência (a que batiza o longa) nonsense e, ao mesmo tempo, fundamental para os propósitos do diretor.

Bong Joon-ho

Mother EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Madeo, Bong Joon-ho, 2009]

O novo filme do diretor da obra-prima O Hospedeiro (2006) segue um caminho diferente: aposta no drama policial, terreno em que já havia pisado em Memórias de um Assassino (2003). Bom cineasta que é, Bong Joon-ho já abre seu filme com uma cena antológica, em que a personagem-título dança num campo aberto. O plano já valeria o ingresso, mas há pelo menos outros dez com beleza equivalente. Eles servem para compor a mistura de história de amor incondicional, retratada com pequenas delicadezas, e thriller de primeira grandeza, com um roteiro que evoca o suspense clássico e cenas assustadoras. A atriz Kim Hye-Ja, genial, já entrou para a lista de melhores do ano.

Rachid Bouchareb

London River EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[London River, Rachid Bouchareb, 2009]

O prêmio de melhor ator em Berlim para Sotigui Kouyaté só pode ter razões exóticas: um ator africano, de 72 anos, com longos cabelos rastafari, com uma interpretação apenas correta. Kouyaté desaparece perto da sempre ótima Brenda Blethyn, que tem uma cena oscarizável e mais algumas em que revela seu cuidado com os detalhes da personagem. O filme é bastante interessante. Uma forma original e sutil de voltar aos ataques terroristas em Londres sem abraçar o dramalhão ou o denuncismo.

Comentários rápidos e primeiras impressões no twitter.

Outros filmes do festival: 35 Doses de Rum, (500) Dias com Ela, Aconteceu em Woodstock, Amália, Amreeka, The Bad Liutenant: Port of Call, New Orleans, Barba Azul, Brilho de uma Paixão, A Casa Nucingen, Cornucópia, A Criada, Distrito 9, Doce Perfume, Erótica Aventura, Eu Matei a Minha Mãe, Eu, Ela e Minha Alma, A Física da Água, Hotel Atlântico, Insolação, Julie & Julia, Lake Tahoe, Marching Band, As Praias de Agnes, O Rei da Fuga, Ricky, Singularidades de uma Rapariga Loura, Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo.

1 Comment

Filed under Mostras