Monthly Archives: dezembro 2004

Frankies 2004: os vencedores

filme do ano

Homem-Aranha 2
Elefante
Kill Bill: Vol. 1
Prisioneiro da Grade de Ferro, O
Pântano, O

direção

Gus Van Sant, Elefante
Julio Bressane, Filme de Amor
Lucrecia Martel, Pântano, O
Quentin Tarantino, Kill Bill: Vol. 1
Sam Raimi, Homem-Aranha 2

ator

Erland Josephson, Saraband
Jack Black, Escola de Rock
Paul Giamatti, Anti-Herói Americano
Ron Perlman, Hellboy
Sean Penn, 21 Gramas

atriz

Valeria Bruni-Tedeschi, O Amor em Cinco Tempos
Charlotte Rampling, Swimming Pool
Kate Winslet, Brilho Eterno de uma Mente…
Mirella Pascual, Whisky
Uma Thurman, Kill Bill: Vol. 1

ator coadjuvante

Brad Bird, Os Incríveis
Kieran Culkin, Meninos de Deus
Paul Bettany, Mestre dos Mares
Rodrigo de la Sierna, Diários de Motocicleta
Seth Green, Party Monster

atriz coadjuvante

Chiaki Kuriyama, Kill Bill: Vol. 1
Kirsten Dunst, Brilho Eterno de uma Mente…
Ludivine Sagnier, Swimming Pool
Rosemary Harris, Homem-Aranha 2
Virginia Madsen, Sideways

elenco

Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
Elefante
Escola de Rock
Valentin
Pântano, O

cena do ano

Uni, duni, tê, Elefante
Aranha é carregado no metrô, Homem-Aranha 2
Elle Driver assobiando, Kill Bill: Vol. 1
Fuga pelo alpendre, A Vila
O voo pela casa, Filme de Amor

roteiro original

Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças
Elefante
Quentin Tarantino, Kill Bill: Vol. 1
Lucrecia Martel, O Pântano
Whisky

roteiro adaptado

Diário de uma Paixão
Guillermo del Toro, Hellboy
Homem-Aranha 2
Meninos de Deus
Oldboy

filme de estréia

Pântano, O
Prisioneiro da Grade de Ferro, O
Retorno, O
Maria Cheia de Graça
Meninos de Deus

filme brasileiro

Filme de Amor
Outro Lado da Rua, O
Prisioneiro da Grade de Ferro, O
Redentor
Feminices

fotografia

Dion Beebe e Paul Cameron, Colateral
Harris Savides, Elefante
Italo Petriccione, Eu Não Tenho Medo
Robert Richardson, Kill Bill: Vol. 1
Walter Carvalho, Filme de Amor

montagem

Eric Sears, Celular – Um Grito de Socorro
Gus Van Sant, Elefante
Sally Menke, Kill Bill: Vol. 1
Stéphanie Mahet, Lado Selvagem
Valdis Oskarsdottir, Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças

direção de arte

Dennis Gassner, Peixe Grande
Graciela Oderigo, O Pântano
Peter Grant, Dogville
Stephen Scott, Hellboy
Yohei Taneda e David Wasco, Kill Bill: Vol. 1

figurinos

Colleen Atwood, Peixe Grande
Emi Wada, O Clã das Adagas Voadoras
Kevin Conran e Stella McCartney, Capitão Sky e o Mundo do Amanhã
Kumiko Ogawa e Catherine Thomas, Kill Bill: Vol. 1
Manon Rasmussen, Dogville

maquiagem

Hellboy
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Monster
Peixe Grande
Peter Pan

trilha sonora

James Newton Howard, A Vila
Jo Yeong-wook, Oldboy
Jon Brion, Brilho Eterno de uma Mente…
Keiichi Suzuki, Zatoichi
Michael Giacchino, Os Incríveis

canção

Al Otro Lado del Rio, Diários de Motocicleta
Belleville Rendezvous, As Bicicletas de Belleville
Man of the Hour, Peixe Grande
School of Rock, Escola de Rock
You Will Be My Ain True Love, Cold Mountain

som

Bicicletas de Belleville, As
Elefante
Kill Bill: Vol. 2
Oldboy
Zatoichi

efeitos visuais

Capitão Sky e o Mundo do Amanhã
Clã das Adagas Voadoras, O
Homem-Aranha 2
Eu, Robô
Zatoichi

documentário

Aqui Favela, o Rap Representa
Bem me Quer, Mal me Quer
Lixo e a Fúria, O
Migração Alada
Prisioneiro da Grade de Ferro, O

animação

Bicicletas de Belleville, As
Expresso Polar, O
Incríveis, Os
Shrek 2
Steamboy

pior filme

Contra a Parede
Encantadora de Baleias
Fahrenheit 11 de Setembro
Mulher-Gato
Paixão de Cristo, A

Compartilhe!

Leave a Comment

Filed under Frankies

Má Educação

Pedro Almodóvar talvez seja o melhor exemplo de cineasta cuja linguagem evoluiu. A última década refinou seu apuro estético e seus filmes se tornaram cada vez mais densos sem perder a característica mais fascinante de seu cinema: o escracho. Carne Trêmula, Tudo Sobre Minha Mãe e Fale com Ela, embora eu goste mais do primeiro, seguiam um crescendo na direção que impressionava pelo rigor e pela maleabilidade. É por isso que Má Educação, o último filme do espanhol, é mais decepcionante do que propriamente ruim. É um filme que não se cumpre, um filme frouxo.

Almodóvar namora o projeto há muitos anos e guarda um carinho especial por uma história que é muito próxima da que viveu na época em que estudava num colégio interno. Um grau de envolvimento que pode ter se tornado prejudicial para o filme, fatal. É clara em todas as cenas e no desenvolvimento do longa a preocupação que o cineasta tem em não banalizar as discussões, em ser respeitoso com todos os personagens, em criar a sensação de incômodo necessário. Má Educação, então, vira um filme mastigado, fácil, sustentado numa estrutura de filme policial que nunca funciona muito bem.

Digna de nota mesmo é a coragem do mexicanozinho Gael García Bernal, que faz um filme em que seu personagem é sodomizado (tudo bem, é um filme de Pedro Almodóvar em que seu personagem é sodomizado), justamente no momento em que sua carreira internacional explode e ele chega a ser cotado para os prêmios do ano. Bernal, por sinal, está bem no papel (sobretudo quando faz Zahara), mas não há nada de espetacular em sua interpretação. Fele Martínez é fraco como o quê. Os atores ficam presos ao roteiro pouco ousado de Almodóvar. Roteiro que nunca acontece porque ele não sabe mais como ser irônico.

Por outro lado, Labirinto de Paixões, rodado há longínquos vinte e dois anos, segundo filme do diretor (segundo se a gente não considerar os filmes “não sérios” que ele fez antes), não tem pudores. Sem o peso de ser um grande mestre do cinema, Almodóvar se permitia completamente. Conta uma história absolutamente nonsense com um sarcasmo delicioso. Um filme livre de qualquer amarra com um elenco comandado pela maravilhosa Cecilia Roth, como uma ninfomaníaca que contracena com os personagens mais absurdos. O filme é da época em que o diretor não tinha vergonha de nada, nem de ser escatológico.

Labirinto de Paixões EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha½
[Laberinto de Pasiones, Pedro Almodóvar, 1982]

Má Educação EstrelinhaEstrelinha½
[La Mala Education, Pedro Almodóvar, 2004]

Leave a Comment

Filed under Resenha